Eliseu, pequenas crianças e os ursos

Por que Deus permitiria que dois ursos massacrassem crianças pequenas por insultar Eliseu? Como o Dr. Elizabeth Mitchell ressalta, examinar o contexto (e o hebraico) esclarece esse estranho evento.

Há alguns anos, um ateísta questionou-me sobre 2 Reis 2: 23-24, onde crianças pequenas provocam Eliseu, e ele as amaldiçoa e dois ursos saem do bosque e comem todos eles. Procurei respostas para isso por muito tempo, e nunca encontrei uma resposta satisfatória. Isso parece um pouco difícil para mim, e depois de ter lido sua resposta à questão de comentários sobre apedrejar filhos rebeldes e desrespeitosos, pensei que você poderia resolver isto.

Atenciosamente,
-J. T., Austrália

 

 

Tanto os não-cristãos como os cristãos questionam-se sobre passagens difíceis nas Escrituras, assim como fazem com situações difíceis na vida, muitas vezes perguntando: “Por que Deus permitiria / causaria / faria isso?” Dizer simplesmente, “Temos certeza de que ele teve uma boa razão”, não resolve o assunto, nem uma resposta tão simples cumpre o comando que Deus nos dá em 1 Pedro 3:15 para estar sempre pronto para dar uma resposta. Claro, não podemos ver os corações das pessoas ou ver o futuro como Deus vê, então geralmente precisamos evitar pronunciamentos dogmáticos sobre os difíceis porquês da vida de um indivíduo (como os discípulos fizeram em João 9 quando viram um homem nascido cego).

No entanto, devemos examinar a Escritura no contexto e comparar a Escritura com a Escritura para responder a essas questões difíceis. Ao fazê-lo, uma atenção cuidadosa a toda a Escritura e ao contexto deve-nos impedir de expurgar as partes que não gostamos pessoalmente ou de falsamente acusar Deus de características que Ele não possui.

Em 2 Reis 2: 23-24, o profeta Eliseu, o novo mensageiro de Deus para a corrupta nação de Israel (o Reino do Norte), acabava de dizer adeus a Elias, seu antecessor. Deus levou Elias até o céu em um redemoinho diante dos olhos de Eliseu e prometeu dar-lhe uma dupla porção do “espírito” de Elias. Esse poder espiritual que Eliseu buscava era importante, pois Israel estava repleto de idolatria. Esta idolatria causou muito sofrimento neste mundo e no próximo, idolatria que acabaria por fazer com que o juízo de Deus caísse sobre toda a nação pelas mãos dos cruéis assírios.

O trabalho de Eliseu – chamar as pessoas para retornar ao Deus verdadeiro e somente a Ele adorar, afastar a idolatria e todas as vis práticas associadas a ela – era importante para o bem-estar espiritual e físico dos milhares de indivíduos na nação e para a nação como um todo. Ele precisava de credibilidade com o rei, com seus companheiros profetas e com o povo. Ele estava agora assumindo o trabalho de Eliseu.

O estranho incidente registado nos versículos 23-24 ocorreu perto de Betel. Betel foi notável como um dos dois centros de adoração idólatra no Reino do Norte. O primeiro rei de Israel, Jeroboão, instituiu o culto idólatra como uma manobra política para evitar que seus cidadãos visitassem Jerusalém. Jeroboão estabeleceu bezerros de ouro em Dã e Betel (1 Reis 12:29) e ordenou um programa de falsa adoração.

Oito reis e várias dinastias mais tarde, Betel, sem dúvida, se tornou uma cidade próspera prosperando no comércio desfrutando de ser um centro de adoração / turista. Mas havia em Betel um remanescente de pessoas tementes a Deus, representadas pelos “filhos dos profetas”, descritos no versículo 3 do mesmo capítulo. Eliseu precisaria da mesma credibilidade que Elias tinha tido, para liderá-los e ao o povo de Israel, contudo eles já duvidavam um pouco dele. As suas preocupações com este profeta não provado o suficiente são vistas em sua desconfiança em relação a seu testemunho da viagem de Elias ao céu (2 Reis 2: 16-18).

Nesse cenário, quando Eliseu se aproximou de Betel, nada menos que 42 “pequenas crianças” vieram “saíram da cidade, e zombaram dele, e diziam-lhe: Suba, cabeça calva; suba cabeça calva “(versículo 23).

Eliseu “voltou e olhou para eles e os amaldiçoou em nome do Senhor.” Então ” duas ursas saíram do bosque, e despedaçaram quarenta e dois daqueles meninos.” (versículo 24).

A questão vital de preocupação para a maioria aqui é a idade dessas “pequenas crianças”. Nós ficámos horrorizados com a ideia de que os ursos trituraram um bando de pré-escolares. Claro, a maioria não o fica quando veem uma foto da escola dominical de um menino David, jogando uma pedra no gigante grande e ruim, mas essa imagem de David é bastante incorreta. David já era “um homem valente e vigoroso” e “um homem de guerra” que era “prudente em assuntos” e já havia matado um urso e um leão ele mesmo (veja 1 Samuel 16:18, 17: 34-36) antes de alguém ouvir falar de Golias.

As palavras hebraicas utilizadas para os detratores de Eliseu incluem as palavras hebraicas qatan, na’ar e yeled, com o número de Strong 6996 (aqui traduzido “pequenas”), o número Strong 5288 (as “crianças” do versículo 23) e o número de Strong 3206 ( os “meninos” do versículo 24), respectivamente.

Qatan significa pequeno em quantidade, tamanho, número, idade, status ou importância. Na Bíblia a palavra é usada para descrever um bolo, uma nuvem, uma sala, uma cidade e um dedo, bem como a filha mais nova de idade para casar da casa de Labão e o filho mais novo de Jacob, Benjamim, que era um homem adulto ; esta palavra até descreve Saul (um homem muito alto, mas baixo em status) no tempo em que Deus ungiu-o rei de Israel (1 Samuel 9: 2, 15:17)!

Na’ar significa um menino ou uma menina, servo ou jovem – é uma palavra que pode abranger uma variedade de idades desde crianças a adultos jovens.

Yeled também significa um menino, filho, filha ou jovem – essencialmente, a descendência de alguém.

Ao ver como essas palavras são usadas em todo o Antigo Testamento, vemos que a “pequena criança” (qatan na’ar) é usada para descrever o jovem rebelde Hadade, o Edomita (1 Reis 11:14, 17) que fugiu do reino de Salomão e se casou com a cunhada do faraó. A combinação também é usada por Salomão para se referir a si mesmo quando orou pela sabedoria depois de se tornar rei (1 Reis 3: 7). 

Assim, já podemos ver que a frase “criança pequena” é usada pelos tradutores de King James para se referir à relativa juventude ou imaturidade de homens adultos.

Na’ar também é usado para se referir a Davi – o poderoso homem de valor – e todos os seus irmãos, assim como também é usada para se referir ao filho de Davi, Absalão enquanto este conduzia uma guerra civil. Também é usada para falar dos trabalhadores dos campos de Boaz e vários soldados do Antigo Testamento. A palavra descreve José aos 17 anos (em Gênesis 37), Isaac de cerca de 25 a 28 no Monte Moriá (em Gênesis 22), descreve 1 espião em Josué e (juntamente com yeled) os jovens que deram a Roboão um mau conselho em 1 Reis 12.

Assim, ao refletir sobre a escolha das palavras dos tradutores e o julgamento de Deus, vemos muitos precedentes para o uso de “crianças pequenas” para enfatizar a relativa juventude ou imaturidade dos sujeitos. 

A referência à sua calvície provavelmente era um tipo de insulto comum: a calvície na parte de trás da cabeça, historicamente, “era considerada uma mazela entre os israelitas e entre os romanos” No entanto, quando consideramos o resto da provocação destas “crianças” lançada contra o profeta, vemos evidências de que eles possuíam uma certa quantidade de entendimento teológico. Sua provocação para “subir” era uma referência ao recente passeio de Elias para o céu. Ao gritar este desafio a Eliseu, eles estavam desafiando seu direito de seguir os passos de Elias como o representante designado de Deus para Israel – e declarando sua intenção de que eles também desejavam que ele conhecesse Seu Criador. No entanto, para as pessoas poderem ser chamadas de volta a Deus, Eliseu tinha que ter credibilidade como representante designado de Deus.

Alguns encontram falha em Eliseu por amaldiçoar-lhes em nome do Senhor. Em primeiro lugar, isso não foi usar o nome do Senhor em vão – note que Deus respondeu fazendo algo sobre a situação – nem este era um vil epíteto. Eliseu simplesmente deixou claro para eles – e para todos os que estavam assistindo – que não era dele, mas a honra de Deus que eles estavam impugnando. Deus ratificou essa posição enviando dois ursos para fora dos bosques para destruí-los.

Eles morreram? O número do Strong para tare é 1234 (baqa ‘). Esta palavra se refere à quebra das montanhas e das muralhas da cidade, a divisão do Mar Vermelho, quebrar madeira, quebrar garrafas, atravessando uma linha de soldados, fazendo com que um grupo de cidadãos repudiasse sua nação e – em uma metáfora profética para a destruição de uma nação em Oséias 13: 8 – despedaçados por animais selvagens.

Quando olhamos para as informações sobre ataques de ursos modernos, vemos que alguns ataques são fatais e outros não. O idioma da Bíblia aqui não é específico no que diz respeito ao destino dos 42. Como o Guia de Willmington para a Bíblia diz, “quarenta e dois desses rebeldes arrogantes foram arranhados/atacados como um castigo divino” Talvez houvesse 42 funerais, talvez não . Nós simplesmente não podemos dizer. Mas uma coisa é certa: todos assistindo e todos os que sobreviveram aprenderam uma lição naquele dia: a mensagem de Deus é séria, e Eliseu é o seu novo mensageiro. Os falsos deuses populares na nação publicamente não conseguiram proteger esses bandidos do Deus cujo mensageiro, desafiaram.

Em resumo, temos muitas evidências bíblicas internamente consistentes de que os acontecimentos daquele dia em Betel envolveram um assalto verbal não provocado por um grupo de jovens capangas ou homens imaturos – talvez porque tivessem gostado de se livrar de um homem que lhes dizia o que Deus não permite, e não queriam outro. Eles tinham idade suficiente para ser responsáveis, e eles estavam desafiando a credibilidade do profeta de Deus, o único homem que estava lá para defender a verdade de Deus, trazendo a Palavra de vida a uma nação corrupta que tinha virado as costas a Deus.

 

Artigo original por Dr. Elizabeth Mitchell em https://answersingenesis.org/bible-questions/elisha-little-children-and-the-bears/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: