7 pistas que nos dizem * precisamente * quando Jesus morreu (o ano, mês, dia e hora revelados)

Publicado por Jimmy Akin na quarta-feira 10 de abril de 2013 às 23:47
Quão específico podemos ser com a morte de Jesus? Podemos determinar o dia exato?

Celebramos recentemente a Sexta-feira Santa e a Páscoa, as celebrações anuais da morte e ressurreição de Jesus.

Todos sabemos que isso aconteceu em Jerusalém no primeiro século.

Isso separa Jesus de míticas divindades pagãs, que deveriam viver em lugares ou tempos que ninguém poderia especificar.

Quão específico podemos ser com a morte de Jesus?

Podemos determinar o dia exato?

Podemos.

E aqui está como. . .

Pista # 1: O Alto Sacerdócio de Caifás

Os evangelhos indicam que Jesus foi crucificado por instigação do alto sacerdote do primeiro século chamado Caifás (Mateus 26: 3-4, João 11: 49-53).

Nós sabemos de outras fontes que ele serviu como sumo sacerdote de A.D. 18 a 36, de modo que coloca a morte de Jesus nesse período de tempo.

Mas podemos nos tornar mais específicos. Muito mais.

Pista # 2: A Governação de Pôncio Pilatos

Os quatro evangelhos concordam que Jesus foi crucificado sob as ordens de Pôncio Pilatos (Mateus 27: 24-26, Marcos 15:15, Lucas 23:24, João 19: 15-16).

Nós sabemos de outras fontes quando ele serviu como governador da Judeia – A.D. 26 a A.D. 36 – então podemos reduzir o alcance por vários anos.

Mas como vamos conseguir isso até um dia e um ano específicos?

Pista # 3: Após “o décimo quinto ano de Tibério César”

O Evangelho de Lucas nos diz quando o ministério de João Batista começou:

No décimo quinto ano do reinado de Tibério César. . . a palavra de Deus veio a João, filho de Zacarias, no deserto [Lucas 3: 1-2].

Isso aponta a um ano específico: A.D. 29.

Uma vez que os quatro evangelhos descrevem o ministério de Cristo que começou depois do início de João Batista (Mateus 3, Marcos 1, Lucas 3, João 1), isso significa que podemos afastar mais alguns anos de nossa gama.

A morte de Cristo teve que ter um alcance de sete anos: entre os dias 29 e 36.

Pista # 4: Crucificado em uma sexta-feira

Os quatro evangelhos concordam que Jesus foi crucificado numa sexta-feira (Mateus 27:62, Marcos 15:42; Lucas 23: 54; João 19:42), antes de um sábado, antes do primeiro dia da semana (Mateus 28: 1, Marcos 16: 2, Lucas 24: 1, João 20: 1).

Sabemos que foi uma sexta-feira porque é referido como “o dia da preparação” – ou seja, o dia em que os judeus fizeram os preparativos necessários para o sábado, já que não podiam fazer nenhum trabalho naquele dia. Assim, preparam os alimentos com antecedência e fizeram outras preparações necessários.

A enciclopédia judaica afirma:

Sexta-feira, como o precursor de Shabat, é chamado de “Ereb Shabat” (A véspera do Sabbath). O termo “ereb” admite dois significados: “noite” e “mistura” (Ex. Xii. 38); e “Ereb Shabbat”, em conformidade, denota o dia da noite em que o sábado começa, ou o dia em que a comida é preparada tanto para os dias atuais como para os seguintes, o qual é o sábado.

A ideia de preparação é expressa pelo nome grego paraskeué, dado por Josefo (“Ant.” Xvi. 6, § 2) para aquele dia (compare Mark xv. 42; Luke xxiii. 54; Matt. Xxvii. 62; John xix .42). Em Yer. Pesaḥim iv. 1 o dia é chamado de “Yoma da-‘Arubta” (Dia da Preparação) [Enciclopédia judaica, s.v., “Calendário”].

Isso elimina seis dos dias da semana, mas ainda houve algumas sextas-feiras entre 29 e 36 depois de Cristo.

Podemos descobrir qual delas?

Pista # 5: Sexta-feira de Páscoa

Os evangelhos também concordam que Jesus foi crucificado enquanto ocorria a festa anual da Páscoa (Mateus 26: 2, Marcos 14: 1, Lucas 22: 1, João 18:39).

Aqui encontramos uma complicação momentânea, porque Mateus, Marcos e Lucas descrevem a Última Ceia na Quinta-feira Santa como uma refeição da Páscoa (Mateus 26:19, Marcos 14:14, Lucas 22:15). Isso sugere que a Sexta-feira Santa foi o dia após a Páscoa.

No entanto, ao descrever a manhã da Sexta-feira Santa, João indica que as autoridades judaicas ainda não haviam comido a refeição da Páscoa:

Então levaram Jesus da casa de Caifás para o Pretório [isto é, o palácio de Pilatos]. Foi cedo. Eles não entraram no Pretório, para que não fossem contaminados, mas pudessem comer a páscoa. Então Pilatos saiu até eles [João 18: 28-29a].

Isso sugere que a Páscoa teria começado ao pôr do sol de sexta-feira.

Há várias maneiras de resolver isso. Por exemplo, alguns sugeriram que Jesus e seus discípulos usavam um calendário diferente das autoridades judaicas, e sabemos que havia diferentes calendários em uso no judaísmo do primeiro século.

Também é possível que Jesus tenha avançado o encontro da celebração da Páscoa para ele e seus discípulos. Quero dizer, eles já estavam convencidos de que ele era o Messias e o Filho de Deus. Se Ele dissesse: “Estamos comemorando a Páscoa hoje”, e é um dia antes do que a maioria das pessoas, eles simplesmente concordariam com isso. (Note que ele fez outras modificações na cerimônia, como a instituição da Eucaristia no meio dela).

E existem outras soluções.

No entanto, independentemente do que Jesus tenha feito, podemos olhar para a declaração de João sobre os captores de Jesus como uma indicação do que as autoridades judaicas ou a prática judia dominante era: iriam comemorar um começo da Páscoa a uma sexta-feira à noite.

Isso nos permite restringir o alcance das datas possíveis para apenas alguns. Aqui está uma lista completa dos dias entre A.D. 29 e 36 em cujas noites a Páscoa começou:

Segunda-feira, 18 de abril, A.D. 29
Sexta-feira, 7 de abril, A.D. 30
Terça-feira, 27 de março, A.D. 31
Segunda-feira, 14 de abril, A.D. 32
Sexta-feira, 3 de abril, A.D. 33
Quarta-feira, 24 de março, A.D. 34
Terça-feira, 12 de abril, A.D. 35
Sábado, 31 de março, A.D. 36

Como você pode ver, temos apenas dois candidatos: Jesus foi crucificado no dia 7 de abril de 30 depois de Cristo ou 3 de abril 33 depois de Cristo.

Qual era?

A data tradicional é a de A.D. 33. Você encontrará uma série de pessoas hoje defendendo a data de A.D. 30.

Os evangelhos nos permitem decidir entre os dois?

Pista # 6: as três páscoas de João
O Evangelho de João regista três páscoas diferentes durante o ministério de Jesus:

Páscoa # 1: Esta é registada em João 2:13, perto do início do ministério de Jesus.
Páscoa # 2: Esta é registada em João 6: 4, a meio do ministério de Jesus.
Páscoa # 3: Isto é registado em João 11:55 (e frequentemente mencionado depois), no final do ministério de Jesus.

Isso significa que o ministério de Jesus teve que abranger mais de dois anos. Um tratamento mais completo revelaria que abrangeu cerca de três anos e meio, mas mesmo que assumamos que começou imediatamente antes da Páscoa # 1, a adição de mais duas páscoas mostra que durou mais de dois anos no mínimo.

Isso significa que a data de A.D 30 está fora.

Não há tempo suficiente entre o décimo quinto ano de Tibério César – A.D. 29 – e a Páscoa do próximo ano para acomodar um ministério de pelo menos dois anos.

Os números não batem certo.

Como resultado, a data tradicional da morte de Jesus – sexta-feira, 3 de abril, A.D. 33 – deve ser considerada a correta.

Podemos ser ainda mais precisos?

Pista # 7: “A Nona Hora”

Mateus, Marcos e Lucas registam que Jesus morreu por volta da “a nona hora” (Mateus 27: 45-50, Marcos 15: 34-37, Lucas 23: 44-46).

“A nona hora” é o que nós, hoje, nos referimos às 3:00 da tarde.

Isso nos permite restringir o tempo da morte de Jesus a um ponto muito específico da história: por volta das 3:00 da tarde na sexta-feira, 3 de abril, A.D. 33.

Claro, há muitos argumentos detalhados sobre os quais não tenho espaço aqui para descrever. Mas este é o resumo das coisas.

Foi quando aconteceu.

 

Artigo original em: http://m.ncregister.com/blog/jimmy-akin/when-precisely-did-jesus-die-the-year-month-day-and-hour-revealed#.Wf8wWIjLeUm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: