Os custos de ser cristão, como os contar

Entrevista com John Piper

Transcrição de áudio

Bem-vindo de volta a uma nova semana no podcast do Pergunta ao Pastor John, respondendo suas difíceis questões teológicas e éticas da Bíblia.

Bem, seguir a Cristo é caro.

E Jesus nos adverte para primeiro contar o custo, antes de O seguir. O que, claro, levanta a grande questão: como? Como calculamos o custo? Uma ouvinte chamada Sally pergunta. “Olá, Pastor John, e obrigado pelo podcast! Cristo nos diz para abandonarmos tudo para ser Seu discípulo  depois de dizer isso: “Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?
Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele,
Dizendo: Este homem começou a edificar e não pôde acabar.”. Isso é Lucas 14: 28-30. Dentro do chamamento para ser Seu discípulo, como discernimos o custo e contamos esse custo em cada um de nossos chamados individuais? Mais significativamente, como contamos o custo antecipadamente quando não sabemos o custo que será exigido de nós no final? ”

O problema aqui é que os versículos a que Sally se refere, Lucas 14: 28-30, são intercalados entre os versos que respondem a sua pergunta. Para dar a resposta de Jesus, vamos voltar dois versos atrás e também avançar três versos. É o que eu vou fazer – apenas lembremo-nos da situação.

Inscreva-se na linha pontilhada

Jesus está chamando as pessoas para segui-lo no discipulado, e então Ele está lembrando que é como construir uma torre que você não quer deixar a meio porque você não tem compromisso ou recursos suficientes para terminar. É como ir para a guerra e perceber que você não tem suficientes soldados para vencer a batalha e derrotar o inimigo.

Então, é dito: “Certifique-se de contar o custo antes de se inscrever para o discipulado com Jesus porque é caro. Eu não quero que você se inscreva ingenuamente e seja surpreendido depois, quando o custo é muito alto. “Essa é a essência da situação.

Sally está perguntando: “Como você conta o custo quando você não sabe o que está acontecendo em sua vida?” A resposta é que Jesus exige, antecipadamente, um compromisso com o custo mais alto possível. Entendeu isso, Sally? Ele exige compromisso com o custo mais alto possível. E nada mais tarde vai então surpreendê-lo, porque você já se vendeu totalmente ao custo mais alto e excessivo.

Em outras palavras, você não precisa saber as especificidades do custo em seu caso particular, se o acordo que você assinar é “eu sou Seu a qualquer preço”. E é exatamente o que esses versículos dizem, não é?

O maior preço

Volte agora. Aqui estão os versículos 26-27, logo antes do que ela cita. Ele diz isso: “Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida” – note que a palavra era o aborrecer – “ele não pode ser meu discípulo.
E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo.” Agora, isso é linguagem extrema. O mais extremo que Ele poderia usar, penso eu, para mostrar que o grau de custo que podemos ter que pagar é extremo.

A primeira linguagem extrema é “Eu estou chamando você para algo que vai parecer um ódio contra esposa e filhos e pais.” E a segunda linguagem extrema é “Eu estou chamando você para entrar em uma cruz”, o que significa uma vontade de morrer uma morte insidiosa.

Não é apenas uma metáfora. Esta é uma cruz, o que significa: “Junte-se a Mim no caminho do martírio”. Então, contar o custo do discipulado significa perceber que o discipulado autêntico pode exigir de você o preço mais alto de forma relacional e o preço mais alto fisicamente.

Não há negociação

Agora, vamos ao outro lado do texto e pulamos três versos. Jesus termina o parágrafo assim: “Portanto, qualquer um de vocês que não renuncie a tudo o que ele tem não pode ser meu discípulo” (Lucas 14:33).

Agora, existem dois absolutos nessa frase. Um deles é encontrado na frase, qualquer um. Isto aplica-se a todos os discípulos, não apenas a alguns: “Qualquer um de vocês que não renuncia a tudo o que ele tem”. Esse é o primeiro absoluto. O outro absoluto é encontrado na palavra tudo. Você deve renunciar a tudo o que você tem para ser meu discípulo. Seus recursos podem permanecer em seu poder como um gerente, um mordomo, mas você deve estar pronto a qualquer momento soltar tudo por causa de Jesus.

Então, quando Sally pergunta: “Como contamos o custo com antecedência quando não sabemos o custo do antecipado?” A resposta é que você assume que o custo pode ser total. Todas as posses largadas, todas as relações abandonadas, toda a vida desistida. Essa é a expectativa de que Jesus pede.

Em outras palavras, não há negociações com Jesus. Não há cálculo. Não há como dizer: “Bem, se o custo chegar a isso, então não estou mais interessado em Jesus”. Porque Jesus diz: “Você não se pode inscrever dessa maneira. Ninguém se inscreve por setenta por cento do que Eu preciso. “Isso não é o que os discípulos dizem. Nós não falamos assim. Os hipócritas falam assim. Bem, não, os hipócritas não. Eles mentem.

Recompensa valiosa

Os discípulos estão por tudo, ou estão fora. Isso é o que o texto está dizendo. Mas asseguremo-nos que Sally e o resto de nós conseguimos pôr isso na perspetiva correta, porque apenas alguns parágrafos anteriores – neste mesmo capítulo – disse Jesus, depois que estabeleceu alguns custos bastante elevados: “Você será recompensado na ressurreição dos justos “(Lucas 14:14).

Em outras palavras, “Não há nenhum custo que você possa pagar ao me seguir, que não será devolvido a você mil vezes mais na ressurreição”. E precisamos lembrar Mateus 13:44, que diz: “O reino dos céus é como um tesouro escondido em um campo, que um homem encontrou e encobriu. Então, em sua alegria, ele vai e vende tudo o que ele tem e compra esse campo. “Um homem vê e vende tudo o que ele tem – tudo o que ele tem! – para obter esse tesouro. Em outras palavras, todos esses chamados custos e todas as chamadas perdas – tudo – não são nada comparados aos ganhos de ter Jesus, o maior Tesouro.

Então, sim, devemos contar o custo para ser um discípulo. O custo é total em princípio e pode ser total na experiência real. No final, ter Jesus significa ganho, como Paulo diz: “Conto tudo como perda por causa do supremo valor de conhecer a Cristo Jesus meu Senhor” (Filipenses 3: 8).

Por John Piper, artigo original em: https://www.desiringgod.org/interviews/following-christ-is-costly-but-how-do-you-count-the-cost

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: