Deus criou a síndrome de Williams?

Como podemos reconciliar a bondade de Deus com o que está a acontecer em nossas vidas?

Quer seja o primeiro ou o quinto, o nascimento de um bebê é (na maioria dos casos) é um evento alegre. À medida que os pais, amigos e familiares celebram a nova vida, eles se maravilham com a beleza do bebê e preenchem suas mentes com esperanças e sonhos para o futuro da criança.

Nós não éramos exceção. Meu marido e eu ficamos empolgados quando nosso primeiro filho nasceu no final de 2008. Mesmo antes de ele entrar no mundo, já havíamos começado a sonhar com seu futuro. Além do nosso desejo de criar um filho que traria glória ao Senhor, meu marido tinha certeza de que um dia ele seria o melhor candidato na NFL, enquanto eu tinha esperanças de um futuro orador.

E então as visitas do médico começaram. Quando ele tinha 2 meses de idade, um sopro cardíaco nos enviou a um cardiologista onde ele foi diagnosticado com estenose aórtica supravalvuvar (SVAS). E então veio uma viagem para a ala de gastrologia, onde foi diagnosticado com “incapacidade de desenvolver”. Isto foi seguido por viagens a outros especialistas para vários problemas.

O diagnóstico

O culminar de nossas visitas ao médico foi uma viagem ao geneticista quando ele tinha 9 meses de idade. O geneticista diagnosticou nosso filho com um distúrbio genético raro chamado síndrome de Williams. A síndrome de Williams (SW) é causada por uma deleção espontânea de cerca de 25 genes no sétimo cromossomo e pode levar a deficiências físicas e cognitivas.

Com esse diagnóstico, nossas vidas deram um súbito desvio do caminho que pensávamos estar viajando. Nos poucos segundos que o geneticista levou para dizer: “Sim, ele tem a síndrome de Williams”, passamos de pais de um potencial atleta de NFL a ser pais de uma criança com necessidades especiais – uma criança com problemas físicos potencialmente fatais, atrasos no desenvolvimento e dificuldades de aprendizagem.

O diagnóstico nos deixou cambaleantes, mas sem duvidar. Sabemos quem é Deus e porque a vida nem sempre é como esperamos.

Como pode imaginar, começamos a pesquisar todas as coisas relativas à SW. E graças às bênçãos das redes sociais, ficamos “amigos” de outros pais de filhos com SW e aprender com aqueles que andaram por onde estamos caminhando atualmente. Ao tentar entender como coisas como desordens genéticas se encaixam em uma cosmovisão cristã, um desses pais, uma cristã também, fez esta pergunta: “Deus criou a síndrome de Williams?”

É uma pergunta válida. Como cristãos que adotam uma cosmovisão que afirma a vida, nós frequentemente discutimos o quão bonito é o corpo humano – uma obra-prima da criação de Deus. Sabemos que somos feitos “com temor e maravilhosamente”. Então, como uma criança com um distúrbio genético (ou qualquer “problema”) se encaixa nessa visão de mundo? Como podemos reconciliar a bondade de Deus com o que está acontecendo em nossas vidas?

Foi assim que eu respondi – tanto para meu amigo quanto para nós.

O Design original de Deus

Esta questão reflete a antiga questão: Deus é o autor da dor e do sofrimento?

De um estudo cuidadoso de Gênesis, sabemos que a criação original de Deus foi “muito boa” – um reflexo de Sua boa natureza – cheia de vida e alegria (Gênesis 1:31). Eu acredito que Ele projetou o universo para que tudo funcionasse em conjunto para a sua glória (ver, por exemplo, Salmos 19: 1). Ao criar Adão à sua imagem a partir do pó do solo, Ele deu ao primeiro homem (e pouco tempo depois à primeira mulher) uma combinação “muito boa” de DNA. Ele os encorajou a serem frutíferos e a multiplicarem-se. E se as coisas tivessem continuado da forma que estavam no ínicio, essa combinação genética “muito boa” teria continuado combinando de maneiras “muito boas”, enquanto Adão e Eva geraram filhos.

Claro, sabemos que as coisas não ficaram da forma que estavam no começo. Depois que Adão desobedeceu ao mandamento de Deus referente àquele fruto em particular, Deus colocou uma maldição em sua amada criação – a justa punição pelo compromisso de alta traição contra o Criador do universo. Aspetos particulares da Maldição são descritos em Gênesis 3. O ponto culminante da Maldição é a separação de Deus para sempre através da morte. Como acompanhamento da morte, temos dor, sofrimento, doenças e distúrbios genéticos. (Mas claro que não estamos sem esperança!)

A síndrome de Williams (juntamente com todos os outros distúrbios genéticos) não é culpa de Deus. Mutações genéticas (incluindo deleções espontâneas da parte do sétimo cromossoma) são um resultado natural de não viver mais em um mundo “muito bom”. Então, Deus criou a síndrome de Williams nesse sentido? Não, nós, pecadores nas mãos de um Deus santo, somos os responsáveis.

No entanto, há algo mais que precisa ser abordado também.

Temerosa e maravilhosamente feitos

A Bíblia ensina claramente que Deus é o autor da vida – Ele forma cada um de nós e nos une no útero (Salmos 139: 13-16). A Bíblia também ensina claramente que Ele é soberano sobre sua criação – Ele é o único que está no controle – não é uma divindade de laissez-faire que fez sua criação e agora a deixa só. (Veja, por exemplo, Deuteronômio 3:24; 1 Crônicas 29: 11–12; Jeremias 1: 5; Daniel 4: 34–35; Neemias 9: 6.)

Assim como Deus está no controle do intrincado funcionamento do universo, Ele também está no controle das intrincadas operações da conceção. Como tal, eu não posso escapar do pensamento de que somos quem somos – mutações genéticas e tudo mais – como resultado do trabalho de Deus. Nesse sentido mais individualizado, Deus deu ao nosso filho (e a cada um de nós) uma combinação genética específica, que, no caso de nosso filho, incluiu a exclusão de parte de um de seus cromossomos.1

Moisés aprendeu esta lição quando ele disse ao Criador que era “lento em falar e lerdo”. O Senhor disse a ele: “Quem deu a boca ao homem? Quem o faz surdo ou mudo? Quem lhe dá visão ou o deixa cego? Não sou eu, o Senhor? ” (Êxodo 4:11, NVI).

Isso faz de Deus um ogre ou menos do que completamente bom? De modo nenhum. Porque sua natureza é boa (Salmo 25: 8, 34: 8, 145: 9; Mateus 19:17). Tudo o que Ele faz é bom.

E creio que Ele cria todos por uma razão: para trazer glória a Si mesmo (Isaías 43: 7; Romanos 11:36). Ao responder à pergunta de seus discípulos sobre a razão de um certo homem ter nascido cego, Jesus disse: “Nem este homem nem seus pais pecaram, mas isto aconteceu para que a obra de Deus fosse exposta em sua vida” (João 9: 3). NIV). E Paulo nos diz que Deus “opera todas as coisas conforme o conselho de sua vontade” (Efésios 1:11, NVI).

Para relacionar isso especificamente ao nosso filho e seu diagnóstico de desordem genética, acredito que ele (e cada um de nós) faz parte do plano de Deus de trazer glória a si mesmo de alguma forma – mutações genéticas e tudo.2

A alternativa naturalista

Há aqueles que zombam do Criador e sua bondade com base em desordens genéticas. Para essas pessoas, sugiro gentilmente que examinem primeiro sua própria cosmovisão ateísta das moléculas para a evolução do homem e suas implicações.

Pois dentro de sua cosmovisão, os distúrbios genéticos são a “tentativa e erro” dos processos evolutivos, levando à formação de uma nova espécie ou resultando em um beco sem saída. Pessoas com anormalidades cromossômicas são simplesmente um “obstáculo” no caminho evolutivo para melhorar a espécie. Por que, então, esses escarnecedores se preocupariam com aqueles com desordens genéticas se eles fossem simplesmente demonstrações de “tentativa e erro”? Por que, em sua cosmovisão ateísta, incomodam-se em dar àqueles com tais problemas uma boa qualidade de vida ou protestar contra um Criador (cuja existência eles negam) por fazê-los assim? Para simplificar, eles não têm base lógica para argumentar que os distúrbios genéticos são “ruins”.

Além disso, eles não têm base lógica para fazer juízos morais sobre um Criador (cuja existência eles negam). Porque, de acordo com sua visão de mundo, somos simplesmente o resultado de processos naturais ao longo de bilhões de anos, quem poderá dizer que o modo como um conjunto de produtos químicos é combinado é melhor (ou pior) do que o outro conjunto de produtos químicos combinados? Eles não têm um padrão definitivo para dizer que uma combinação é “boa” enquanto outra combinação genética é “ruim” e, portanto, são incapazes de consistentemente responsabilizar o Criador por fazer algo que considerem “errado”.

Eu acho que a “preocupação” deles com pessoas como o meu filho é inconsistente com sua visão de mundo.

Embora não tenhamos o atleta e o orador da turma que planejamos originalmente (embora estejamos dando a ele todas as vantagens), temos o filho que Deus temerosa e maravilhosamente fez e confiou ao nosso cuidado para Sua glória – aquele que não trocaríamos por nada.

E sabemos que “o que o Senhor é Deus; foi ele que nos criou e nós pertencemos-lhe; somos o seu povo e ele é o nosso pastor! Entrem no seu templo em ação de graças; entrem nos seus átrios com hinos; louvem-no e bendigam o seu nome! O Senhor é bom! O seu amor é eterno! Ele permanecerá fiel para sempre.” (Salmos 100: 3-5, NVI).

Notas de rodapé:

1 Deixe-me adicionar essa ressalva. Entendo que nossas ações têm consequências e, em alguns casos, as ações dos pais antes da concepção / nascimento do filho podem ter consequências desastrosas para o bebê. No entanto, mesmo nesses casos, Deus ainda é o autor final dessa vida.

2 Na verdade, quem de nós pode dizer que temos uma combinação perfeita de DNA? Todos nós estamos sofrendo de um acumulação de 6.000 anos da Maldição, mas fomos unidos pela mão amorosa do Senhor.

3 Foi demonstrado em outro lugar que a Bíblia fornece a única base lógica para moralidade e racionalidade. Veja, por exemplo,Morality and the Irrationality of an Evolutionary Worldview.”: https://answersingenesis.org/morality/morality-and-the-irrationality-of-an-evolutionary-worldview/

 

 

Artigo original por Stacia McKeever em: https://answersingenesis.org/who-is-god/god-is-good/did-god-create-williams-syndrome/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: