Somos realmente assim tão diferentes?

A última moda é descobrir o que os testes de DNA revelam sobre a linhagem da família. Quando uma família cristã adotiva decidiu olhar abaixo da superfície, eles descobriram uma verdade mais surpreendente.

Em algum momento de sua vida, você provavelmente se perguntou sobre sua linhagem. Seu parente há muito perdido era servo no palácio do rei Henrique VIII, peregrino para o Novo Mundo ou soldado da Revolução Americana? As possibilidades são infinitas. Graças aos recentes avanços nos testes de DNA e ampla participação mundial, você poderá encontrar algumas respostas.

Em meio das pilhas de gráficos e dados que você receberá de empresas de testes de DNA, um pequeno detalhe não será destacado. Mas é ainda mais incrível do que encontrar um rei (ou fora da lei!) no seu armário. E se esses testes mostrarem que sua linhagem – e a de todos os outros – remonta à família de Noé?

Não é tão absurdo quanto parece. Noé era uma pessoa real, com três filhos que se casaram com três mulheres que se tornaram mães de todas as pessoas na terra (Gênesis 9:19). Passaram eles um DNA distinto, que podemos detetar hoje?

Geneticistas da Answers in Genesis (o ministério da revista Answers) queriam descobrir. Primeiro, eles procuraram por uma família normal dos EUA que adotou da China e estaria disposta a fazer um teste de DNA. Na superfície, a maioria de nós suporia que os norte-americanos de herança européia teriam DNA muito diferente de seus filhos nascidos na China. Mas a resposta é mais complicada.

De fato, os resultados dos testes fornecem provas poderosas de que somos todos uma raça, ou “um só sangue”, exatamente como a Bíblia ensina – em última análise, descendentes de um homem e uma mulher (Gênesis 1: 27-28; Atos 17:26). O teste também fornece evidências surpreendentes de que nossos ancestrais retornam apenas alguns milhares de anos. Mas nós vamos chegar a isso mais tarde.

Isso é muito mais que um estudo de genética. Como duas crianças da China encontraram uma família eterna no norte do Kentucky traz uma verdade maravilhosa à luz. Quer seja adotado ou nascido naturalmente, o Criador nos deu as semelhanças que precisamos para tornar a unidade possível, enquanto Ele também nos deu diferenças suficientes para tornar cada família maravilhosa.

Tornando-se uma família

“Os planos de Deus são sempre maiores que os nossos.”

Se passar algum tempo com Doug e Pam Duty, ouvirá essa frase com frequência. Eles não tinham planos para adotar. Deus já os havia abençoado com três adoráveis ​​filhas biológicas, de 17, 15 e 10 anos de idade. Nesta fase da vida, a maioria dos pais pensa em faculdade, casamentos e netos.

“Eu tive meus próprios sonhos de aposentadoria e como isso seria”, lembra Doug. “Mas quando o Senhor falou connosco, decidimos adotar imediatamente e nos rendemos imediatamente. . . . Claro, estou brincando.”

Doug realmente tinha sua vida planeada, incluindo aposentadoria como vendedor de produtos farmacêuticos. Então, em um dia fatídico, quando ele voou em mais uma viagem de negócios, sua esposa estava dobrando roupa em seu quarto e ouvindo uma família no rádio compartilhando sua história de adoção. Ela já ouvira histórias semelhantes antes, mas por algum motivo esta ficou em sua mente. Ela nem lembra dos detalhes. “Doug viajou por uma semana inteira, enquanto eu estava em casa todos os dias pensando sobre essa história.”

Quando Doug chegou em casa, Pam disse que precisavam conversar. “Isso geralmente é assustador”, brinca Doug. Do nada, Pam disse que sentia que Deus os chamava para adotar. Eles nunca discutiram tal coisa antes.

Doug temia que Pam pudesse estar tendo uma crise de meia-idade, então eles colocaram a conversa em segundo plano. No entanto, de maio a outubro, Deus foi “implacável”, admitiu Doug.

Para ele, um dos maiores obstáculos eram as despesa. Então, um dia, quando estava em casa revisando os novos benefícios de sua empresa, Pam ouviu Doug berrar: “Você deve estar brincando! Nossa nova política pagará US $ 10.000 para todas as adoções internacionais ”.

Outro sinal veio algumas semanas depois, quando uma família adotiva perguntou aleatoriamente se alguma vez consideraram a adoção. Pam mantinha um diário com esses indicadores e, ocasionalmente, os compartilhava com Doug.

O ponto de mudança aconteceu quando a amiga de sua filha queria fazer um aborto. O pensamento imediato de Doug foi que sua família precisava adotar o bebê e salvá-lo. Infelizmente, a adolescente decidiu acabar com a gravidez; mas o coração de Doug mudara quanto ao poder da adoção para salvar uma vida.

Agora foi a vez de Pam precisar de convencimento. Então, um dia, enquanto ela estava na garagem organizando suas coisas, o nome Sophie veio à sua mente e ela não conseguia parar de pensar nisso. Então, por três noites seguidas, ela sonhou com uma garotinha chamada Sophie.

“Eu nunca vi o rosto dela, mas sabia que ela era asiática. Eu pensei que, se adotarmos, eu chamarei a criança de Sophie. Antes mesmo de conhecê-la, Deus já havia me dado o nome dela.

Numa manhã de sexta-feira na igreja, durante um estudo bíblico sobre a travessia do Mar Vermelho, ela se quebrou. O palestrante perguntou: “Senhoras, há algo que Deus tem lhes chamado para fazer, e você tem inventado todas as desculpas para não fazer?”

Os próximos dois anos e meio foram um turbilhão – encontrar uma agência de adoção, escolher um país, elaborar detalhes. Finalmente, o avião deles pousou em Pequim, na China, e eles colocaram os olhos em um bebê de 13 meses que logo seria chamado Sophie.

No começo, Sophie não respondia porque recebera tão pouca interação com adultos no orfanato. Como uma criança de três meses, ela não conseguia se sentar, gatinhar ou comunicar. Mas depois de apenas dezasseis dias com seus novos pais, e ainda na China, ela já estava a caminho de uma vida nova e rica – sentando-se, segurando as mãos da mãe e do pai e até andando.

Cinco anos depois, o desejo de adotar puxou Doug e Pam mais uma vez. A idade máxima para adotar na China era de 50 anos, um marco que eles estavam se aproximando rapidamente. Deus queria que eles trouxessem uma nova esperança para mais um filho? Eles entraram em contato com uma agência de adoção para obter mais informações, e logo perceberam que estavam de volta à China, mas desta vez para um menino. A única maneira de concluir uma adoção tão rapidamente era escolher uma criança com necessidades especiais.

Adotar um bebê saudável já tem seus próprios problemas. Sophie rapidamente se apegou a seus pais adotivos e sofria extrema ansiedade sempre que eles não estavam ao alcance. Seu novo filho, Collin, teve desafios adicionais em seu ajuste. Primeiro, ele já tinha três anos de idade e falava mandarim fluentemente, então ele teria que aprender um novo idioma. Em segundo lugar, ele tinha uma fenda palatina severa que necessitava de mais cirurgias.

Mas Collin tinha mais do que obstáculos médicos para superar. Depois de cada refeição, ele escondia comida nos bolsos. Chegou até a tirar comida de pratos de estranhos em restaurantes. “Nesses orfanatos, muitas crianças não sabem quando receberão a próxima refeição”, explica Pam.

Hoje, Collin tem dez anos e teve várias cirurgias bem sucedidas. Sophie tem 12 anos e já sonha com faculdade.

duty-family

“Há momentos em que olhamos para trás enquanto fazemos os trabalhos de casa com as crianças pequenas e pensamos: ‘Não foi isso que planeamos. Mas não é sobre nós”, diz Pam. E as recompensas foram imensuráveis.

Os Dutys acreditam que no primeiro dia em que viram fotos de Sophie e Collin, muito antes mesmo de os conhecerem cara a cara, eles eram seus filhos. “Não há diferença em nossa família. Seja adotado ou não, você é nosso filho e isso faz de você um Duty. ”

Deus tem tudo a ver com reunir famílias assim. Apesar das diferenças culturais, os Dutys perceberam uma verdade bíblica: somos todos uma família descendente de Adão. E Deus pretende que nos amemos uns aos outros como família, não importa quais pequenas diferenças pareçam nos dividir.

Evidência no DNA para apenas uma raça

Quando a revista Answers abordou os Dutys sobre um teste de DNA, eles ficaram intrigados. Eles não perceberam o quanto isso provaria que “somos todos uma família”.

Os principais resultados dos testes, o que a maioria das pessoas está procurando, não foram chocantes. Doug e Pam são descendentes de europeus, e Sophie e Collin são do leste asiático. Pam se apoia fortemente nos genes da Ilha Britânica, enquanto os genes de Doug são uma mistura das Ilhas Britânicas e da Europa Ocidental / Central. Seus filhos são uma mistura de sudeste e nordeste da Ásia.

As diferenças genéticas que indicam essas etnias são extremamente pequenas. A maioria foi herdada de Adão e Eva. À medida que seus descendentes se mudaram de Babel, seus genes adquiriram pequenas variações adicionais devido a mutações (alterações em uma sequência de DNA), e é possível rastrear quais regiões do mundo ainda carregam essas pequenas variações. Em todo o mundo, 99,9% do DNA é o mesmo. Essa semelhança é maravilhosamente consistente com o relato bíblico da história humana, desde a criação do primeiro casal no Éden até a disseminação da família de Noé da Arca, apenas alguns milhares de anos atrás.

Quando a maioria das pessoas fala sobre DNA, elas significam a longa cadeia de material genético encontrada no núcleo de cada célula, conhecido como DNA nuclear. Este é o DNA que define a cor dos nossos olhos, cabelo e outras características físicas. A maioria dos testes examina apenas esse DNA nuclear e mostra as diferenças étnicas dos Dutys.

Mas os geneticistas da Answers in Genesis estavam interessados ​​em um teste separado, que você pode usar em uma sequência menos conhecida, conhecida como DNA mitocondrial. Esse pequeno conjunto de genes está localizado dentro de uma parte de nossas células chamada mitocôndria, as “fábricas de energia” da célula. Essas fábricas de energia estão localizadas fora do núcleo e têm seu próprio DNA separado.

A vantagem dessa “string”/corda é que o DNA não passa por tantas mudanças, e os geneticistas têm menos fatores a serem considerados ao compará-las. Ao contrário do DNA nuclear, que é transmitido combinando DNA de ambos os pais, o DNA mitocondrial é transmitido diretamente da mãe. Então você não precisa fatorar qualquer mistura de diferentes linhagens masculinas ao longo dos séculos.

Além disso, o DNA mitocondrial tem apenas 16.569 pares de bases (blocos de construção do DNA), em oposição a mais de 6 bilhões de pares de bases no nosso núcleo. Então, as mutações são muito mais fáceis de rastrear. (Na verdade, o maior número de mutações registradas na raça humana é pouco mais de 120.)

Um número tão limitado de mutações significa que pouco tempo se passou para que as mutações ocorressem desde que a primeira mãe passou seu DNA! Com um registro tão simples e limpo, é muito mais fácil reconstruir a árvore genealógica materna de cada indivíduo.

Quando os geneticistas pediram aos Dutys que fizessem um teste de DNA mitocondrial, até mesmo os cientistas ficaram chocados com o que encontraram. A diferença entre os dois pais e seus dois filhos chineses não é maior do que a diferença entre Doug e Pam!

Esses resultados fazem sentido se os bilhões de pessoas de hoje forem descendentes de apenas oito pessoas na Arca de Noé. Se diferentes grupos étnicos na China e na Europa vieram de uma mãe há cerca de 4.350 anos, pouco tempo se passou para que muitas diferenças apareçam no DNA mitocondrial. Se esses grupos tivessem sido separados por 100.000 anos ou mais, como alegam os evolucionistas, esperaríamos encontrar mais diferenças de DNA. Mas não encontramos.

Então, em resposta à pergunta no começo deste artigo, sim, todos nós podemos traçar nossa linhagem de volta para as esposas dos filhos de Noé, que estavam na Arca.

Mesmo que Collin e Sophie não sejam os filhos biológicos de Doug e Pam, eles ainda compartilham DNA da mesma família, que remonta ao Dilúvio.

Collin frequentemente pergunta a Doug por que seus olhos têm uma forma diferente. Doug sempre diz a ele: “É porque você é asiático. . . mas mesmo assim és meu filho.” Embora variações como a forma dos olhos e a cor da pele sejam fáceis de detetar, elas são muito pequenas. Essas diferenças superficiais, que muitas pessoas consideram importantes, compõem uma percentagem muito pequena do DNA.

Hoje, milhões de pessoas estão ansiosamente fazendo testes de DNA para aprender mais sobre sua linhagem. Os testes às vezes mostram que as raízes de suas famílias estão separadas por milhares de quilômetros. Após uma inspeção mais detalhada, no entanto, a história é imensamente diferente.

A alegação da Bíblia de que somos “um só sangue” (At 17:26, KJV) significa que somos todos de uma mesma família. Cada pessoa nesta terra é um descendente do primeiro Adão (1 Coríntios 15:45), que foi criado à imagem de Deus. Embora o primeiro Adão tenha pecado no Jardim do Éden, Deus enviou Jesus Cristo como o segundo Adão. Por causa de sua morte na cruz, podemos ser salvos do nosso pecado e adotados na família de Deus.

Tanto Sophie quanto Collin foram abandonados por seus pais biológicos e deixados em lugares públicos. Mas Deus, que ama órfãos desamparados, usou suas trágicas circunstâncias para transformar suas vidas em uma história de sua graça. Tais histórias nos lembram que somos, de fato, uma única família, e o amor de Deus pode superar barreiras aparentemente impossíveis para nos unir.

O que testes de Dna mostam sobre nossos antepassados

Quando enviam saliva para serem testadas, a maioria das pessoas quer saber um resultado: as áreas de onde seus ancestrais vieram. Isto é baseado em mutações no nosso DNA (chamado DNA nuclear).

Mas você tem outro pequeno conjunto de genes (chamado DNA mitocondrial), que produz melhores informações. Essa cadeia está localizada dentro das mitocôndrias de suas células, ou “fábricas de energia”. Ela é transmitida diretamente da mãe, de modo que suas mutações são mais fáceis de rastrear. A partir disso, podemos identificar sua árvore genealógica materna (ver mapa abaixo).

As empresas de teste não mostram uma coisa no mapa abaixo. Essas linhas maternas podem ser rastreadas até três ramos, provavelmente as esposas dos três filhos de Noé!

dna-map-large

*tradução: testes de Dna revelam semelhanças surpreendes. Doug H e Pam K vieram da mesma linhagem maternal que seus filhos da China B e N! Era o que se esperava encontrar se somos descendentes das três mães da arca

Dois resultados diferentes

Você pode obter resultados de testes para DNA nuclear ou DNA mitocondrial. DNA nuclear mostra que Doug e Pam vieram da Europa; Sophie e Collin da Ásia. O DNA mitocondrial mostra que eles vieram de quatro linhas maternas separadas (H, K, B, N).

1223

Muitas letras, três mães

O mapa mostra letras para todos os tipos de DNA mitocondrial e onde se espalham. Em laranja são os resultados para Doug (H) e Pam (K) e seus filhos adotivos, Sophie (B) e Collin (N). Quando você olha mais de perto essas quatro linhas de DNA materno, elas são tão semelhantes que, na verdade, pertencem à mesma árvore genealógica (“mamãe 1” abaixo)!

1234

Se você conhece o seu tipo de DNA mitocondrial, você pode descobrir de qual mãe você veio no gráfico abaixo.

 

Artigo original por Melessa Webb em: https://answersingenesis.org/genetics/human-genome/are-we-really-different/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: