Eu era viciado em heroína. Mas Jesus é mais gratificante

Há pouco mais de dez anos estava preso no meio do vício da heroína. Devido à natureza do vício, minha vida estava cheia de desordens de todo tipo: estilo de vida egoísta, roubo frequente, mentira compulsiva e constante manipulação. Eu estava em total escuridão.

Mas Deus. Deus foi incrivelmente bom para mim, e me libertou do domínio das trevas e me transferiu para o reino de Seu amado Filho (Colossenses 1:13). É pura graça que eu possa me alegrar na sobriedade agora, porque foi preciso poder divino para quebrar as correntes do meu vício.

Ao longo dos anos, muitas vezes me perguntaram como consegui ficar sóbrio esse tempo todo e não voltar a usar heroína. Embora a sobriedade tenha sido um trabalho árduo, minha resposta curta é simplesmente a seguinte: Jesus é mais satisfatório. O que Jesus realizou e me deu no evangelho é muito mais poderoso e agradável do que qualquer sensação que a heroína possa oferecer.

Como Jesus é melhor que heroína

Mas o que eu quero dizer com isso? Como é que Jesus é mais satisfatório que a heroína?

  1. A heroína adormeceu meu pecado; Jesus perdoou meu pecado.

Há uma razão pela qual os médicos prescrevem opiáceos após a cirurgia: opiáceos adormecem a dor. Da mesma forma, a heroína anestesiou minha dor, causada por tristezas e pelo pecado. Eu fui abusado quando era criança e experimentei o desgosto de terem pecado contra mim. Eu queria fuga e alívio. Eu também cresci em uma igreja onde tomei consciência da minha própria depravação. Eu queria escapar e aliviar isso também.

Eu me lembro da primeira vez que fiquei drogado. A euforia fez com que parecesse ter escapado de tudo que estava errado no mundo. Mas a heroína foi um alívio enganoso. Ela entorpeceu a dor da tristeza e do pecado, mas isso era tudo que podia fazer. Cada vez que eu a usava, a dormência desaparecia em poucas horas e depois a dor retornava. A heroína prometeu que poderia remover os efeitos da minha tristeza e pecado, mas mentiu. Não importa quanta heroína eu injetasse no meu corpo, a dor continuava a ressurgir.

Finalmente, fui a um programa de tratamento cristão e comecei a ouvir o evangelho novamente. E um dia, Deus me deu ouvidos para ouvir o evangelho em Romanos 8: 1: “Portanto, agora não há condenação para os que estão em Cristo Jesus”.

Eu tinha lido este verso antes e isso me frustrou porque eu me senti condenado por tudo que eu tinha feito no meu vício. Os viciados geralmente sentem vergonha crescente porque tentam lidar com o pecado pecando mais. É uma lógica insana – como tentar lidar com o cancro olhando para pornografia. Você pode sentir um breve alívio enquanto faz isso, mas vai se sentir ainda pior depois, porque agora você tem cancro e a vergonha de ver pornografia. Vivendo anos com crescente vergonha por causa do meu pecado, passei a acreditar que não era digno de amor e, por fim, condenado por Deus.

Mas naquele dia vi Romanos 8:1 de forma diferente. Eu vi a frase “em Cristo”. Em Cristo não há condenação. Eu vi o glorioso sacrifício de Cristo por meu pecado, incluindo minha vida de trevas no vício. Cristo era o refúgio que eu procurava o tempo todo. Eu confiei Nele com todo o meu coração e experimentei pela primeira vez a graça do perdão. E esse perdão não parou desde que fiquei sóbrio. Cristo perdoa todo o pecado que eu vou cometer por seu trabalho finalizado na cruz.

Não conheço maior alegria ou satisfação do que saber que meus pecados são perdoados diante de Deus – de ter Deus novamente, apesar do que eu fizera. Eu concordo com Octavius ​​Winslow, que disse: “A religião de Cristo é uma religião de alegria. Cristo veio para tirar nossos pecados, para remover nossa maldição, para quebrar nossas correntes, para abrir nossa prisão, para cancelar nossa dívida. . . não é isto alegria? ” E a alegria de ser perdoado permitiu-me perdoar aqueles que pecaram contra mim.

No meu vício, eu perfurei meu braço com uma agulha em uma tentativa fútil de lidar com o pecado. Na cruz, Cristo foi perfurado com pregos e suportou a ira reservada para mim, para lidar com o meu pecado. E receber esse perdão é muito mais satisfatório do que a agulha de heroína.

  1. A heroína escraviza. Jesus liberta

Mas Jesus fez muito mais do que me perdoar; Ele transformou completamente minha vida. Meu vício era a escravidão, onde entrei voluntariamente. A heroína era meu deus e eu me sacrifiquei para ela para conseguir meus desejos egoístas. Eu roubei por isso. Eu menti para isso. Eu ofereci a minha vida como um sacrifício vivo à heroína. E assim, eu também sacrifiquei minha família e amigos no altar do vício.

Mas Jesus libertou-me da escravidão do vício e colocou minhas ambições em um objetivo muito mais elevado e satisfatório do que apenas sobriedade: a glória de Cristo. Eu quero ficar sóbrio agora, não somente para minha vida ser melhor, mas porque realmente acredito que Cristo é glorificado em mim assim como eu. Cristo transformou meus desejos.

Eu não estou a dizer que a vida tem sido fácil desde que Cristo me libertou. Embora eu esteja perdoado do pecado e liberto do poder do pecado, a presença do pecado ainda permanece. Isso significa que devo confiar na graça de Deus para dizer não à tentação. Ele realmente dá toda a graça que precisamos para dizer não à tentação, e toda vez que dizemos não, Cristo é glorificado e nossa alegria aumenta. Em 1 Coríntios 10:13, Paulo nos dá uma promessa de Deus comprada por sangue, à qual os viciados em recuperação, podem se agarrar: Pela graça de Deus, há uma saída para a tentação. E toda vez que dizemos não à tentação, estamos dizendo sim a Jesus, que está dizendo sim à alegria.

  1. A heroína deu prazer passageiro; Jesus dá prazer eterno.

Não apenas experimentei a alegria de ser perdoado e a alegria da liberdade em Cristo, estou experimentando uma alegria crescente que não vai acabar. A euforia fugaz do vício não é nada comparada aos prazeres crescentes que teremos em Cristo por toda a eternidade (Salmos 16:11)!

Em Cristo, podemos ver a heroína pela mentira que é. Como o Filho Pródigo na parábola de Jesus, cuja vida imprudente mostrou suas verdadeiras cores quando o dinheiro acabou (Lucas 15: 11-32), a heroína, quando a euforia passa, revela suas verdadeiras cores. A heroína promete alegria duradoura, mas seu prazer é passageiro e acabará por roubar o viciado da alegria.

Mas Jesus realmente oferece prazer verdadeiro, substancial e duradouro, levando a alegria transbordante. E embora nem sempre se sinta assim, Deus nos prometeu em sua palavra que a vida em Cristo é um caminho para prazeres sem fim e alegria completa. Jesus Cristo é a luz que brilha gloriosamente brilhante sobre aqueles que vivem nas trevas, oferecendo-lhes perdão, liberdade e alegria por sua graça. Então, hoje estou a escolher a verdadeira alegria em Cristo em vez da alegria falsificada da heroína, e  imploro a quem está preso por qualquer vício para fazer o mesmo.

Artigo original por Justin Lakemacher em: https://www.desiringgod.org/articles/i-was-addicted-to-heroin

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: