A mensagem do Maná

Análise a êxodo 16:14-36.

Há muitas pré-figuras na Bíblia do Senhor Jesus Cristo em tipo e símbolo, mas nenhuma é mais clara do que o “maná” que é mencionado em Êxodo 16. Há algumas coisas sobre o maná que não se comparam ao Senhor Jesus Cristo; por exemplo, considere o seguinte:

O maná alimentou o homem exterior, mas Cristo alimenta o homem interior.

Maná foi comido por todos os israelitas e alguns foram iníquos, mas você não come de Cristo a menos que esteja vivendo em santificação.

O maná poderia corromper, mas não o Senhor Jesus Cristo.

O maná só podia ser encontrado em certos momentos, no início da manhã, mas Cristo é sempre encontrado por aqueles que O buscam da forma certa.

Muitos que comeram do maná no deserto morreram, mas todos os que comem de Cristo vivem para sempre.

Depois que Israel deixou Elim, eles acamparam no Mar Vermelho. Então eles entraram no que é chamado de “Deserto do Pecado”. Deus os tirou do lugar de escravidão no Egito, e alguns deles queriam para lá voltar. Deus os abrigara sob o sangue e agora eles queriam voltar. Eles estavam prontos para deixar a redenção e voltar para as amarras e a escravidão.

Deus manifestou grande paciência e amor para com eles. Eles mereciam nada além da morte por sua atitude e espírito rebelde em relação à vontade de Deus, mas Deus quis mostrar misericórdia e bondade para com eles.

Para ministrar às suas necessidades físicas, Deus enviou algo chamado “maná” de manhã cedo para dar-lhes força para sua “jornada de quarenta anos” no deserto. Foi um “milagre de Deus” o pão descer do céu para eles comerem.

Havia o suficiente para alimentar centenas de milhares e ainda durar quarenta anos. O céu ministrou às suas necessidades. Deus fará o mesmo por sua igreja neste século.

Este foi um verdadeiro milagre do Senhor. Os liberais tentaram explicá-lo de maneira natural. Eles alegam que havia uma árvore encontrada em certas partes do deserto, que tinha uma goma comestível, e que às vezes cai no chão em pequenos bolos. Se o humanista estivesse certo, como eles encontrariam árvores suficientes no deserto para alimentar todos os israelitas? Eu acredito neste milagre da Bíblia.

A palavra “maná” significa “o que é isto?” Muitas pessoas leem suas Bíblias e fazem a mesma pergunta: “O que é isto?” Eu vou compartilhar com você o que vejo no maná.

I IDENTIFICAÇÃO DO MANÁ

A Bíblia diz-nos várias coisas sobre o maná para que possamos identificá-lo em nossas mentes.

A. Era Pequeno- (v.14). A Bíblia fala de ser identificado em tamanho como a semente de coentro. Tinha sementes pequenas do tamanho de uma pérola. Porque era pequeno não significava que não fosse significativo.

Isso fala da humildade de Cristo. Da primeira vez Ele não veio em pompa e glória, mas de acordo com Filipenses 2: 7-8, “fez-se de nenhuma reputação, tomou sobre si a forma de um servo, e foi feito à semelhança dos homens, e sendo encontrado à maneira de um homem, ele se tornou obediente até a morte, até a morte da cruz. ”

Cristo não só se tornou um bebé, nascido em uma manjedoura, Ele também se tornou um servo.

B. Era redondo (v.14).

Se você estudar cuidadosamente sua Bíblia, descobrirá que um círculo fala da eternidade, pois não tem começo nem fim.

Nota: Anéis são uma cerimónia de casamento tanto da noiva quanto do noivo não apenas para expressar seu amor, mas também para testemunhar a permanência de seu casamento.

Jesus Cristo, o Filho de Deus, não tem começo nem fim de dias. Apenas sua forma humana começou quando ele foi concebido no ventre da virgem Maria.

Cristo é comparado na Bíblia com Melquisedeque, que não registou  começo ou  fim dos dias (Hebreus 7: 3). Jesus disse: “Antes que Abraão existisse Eu sou“, e Ele também disse: “Eu sou aquele que estava morto, mas estou vivo para todo o sempre“. Cristo é eterno.

C. Era Branco (v.31).

As pequenas bolachas eram brancas. Branco na Bíblia é a cor da justiça ou da pureza. No livro do Apocalipse, a igreja é vista como sendo adornada em “vestes brancas”. Diz três vezes a igreja no céu está vestida de “vestes brancas” (Apocalipse 6:11; 7: 9,13).

Uma noiva é normalmente vestida com um vestido de noiva “branco”.

O branco fala da justiça e santidade de Cristo.

Em 1Pedro 1:19 Jesus é chamado: “Um cordeiro sem defeito e sem mancha“.

Cristo nunca pecou. Mesmo que Ele tenha assumido a humanidade na encarnação, é diferente no sentido que a nossa humanidade para Cristo era a humanidade sem pecado. Não era possível que Ele pudesse pecar porque ele era Deus em carne e osso.

Pilatos disse: “Não acho Nele culpa alguma” (João 19: 6).

D.Era Doce (v.31).

O maná era doce. Não era nada como um caqui verde. Há uma doçura em Cristo que você não pode encontrar em nenhum outro lugar.

A Bíblia diz no Sl. 34: 8, “Prova e vê que o Senhor é bom.” Os judeus não gostavam do sabor do maná como deveriam, porque tinham a mente no alho-porro e no alho do Egito. Em vez de ficarem satisfeitos com o maná, eles o moeram, bateram e assaram.

Você simplesmente não pode melhorar o Senhor Jesus Cristo. Você não tem que tentar adicionar a Ele, desfrute Dele como Ele é.

O que o mundo tem a lhe dar será amargo e se tornará obsoleto e se tornará inútil.

E. Era nutritivo

Os filhos de Israel vaguearam no deserto por quarenta anos sustentados pela nutrição do maná.

É um fato médico que o inchaço é um sinal de desnutrição. Israel não teve esse problema, porque seus pés não incharam enquanto andavam e vagueavam pelo deserto. Foi porque a nutrição adequada foi fornecida pelo maná. Foi melhor que várias vitaminas.

Este era um pão especial, diferente de qualquer outro. É chamado “alimento dos anjos” em Salmos 78:25. Esse versículo diz: “O homem comeu a comida dos anjos; Ele lhes enviou comida em abundância“. Este era um alimento altamente nutritivo que não custou nada aos israelitas; foi de graça. .

Nota:
Não é de admirar que Jesus tenha dito: “Eu sou o pão da vida“.

Tudo o que precisamos para a vida e a eternidade é encontrado no Senhor Jesus Cristo. Tanto a Palavra Viva (Cristo) como a Palavra escrita (a Bíblia) nos alimentam enquanto viajamos ao longo da jornada da vida.

Sl 119: 103 diz: “Quão doce são as tuas palavras ao meu paladar! [Sim, mais doce] do que o mel à minha boca!

F. Era Único

Até onde sabemos, o único maná físico literal que já caiu, desceu durante esta jornada de quarenta anos dos filhos de Israel no deserto. Isso nunca aconteceu antes e não aconteceu desde então. Era um tipo único de maná. Israel sempre havia comido pão, mas não como esse pão “maná”. Foi único (único, especial).

Jesus é tão único que Ele era tanto homem como Ele era Deus e tanto Deus como Ele era homem. Ele era 100% Deus e 100% homem (sem natureza pecaminosa) ao mesmo tempo. Nunca houve em toda a eternidade passada como Ele.

Nós nos tornamos filhos de Deus quando somos salvos, mas não nos tornamos um Filho de Deus no mesmo sentido em que Ele é, pois Ele é o “Filho unigênito de Deus”.

II.A Descida DO MANÁ

Nós já vimos uma identificação do maná, agora vamos ver sua descida.

A. Desceu do Céu

Eles não procuraram importá-lo do Egito ou produzi-lo no deserto. É algo que Deus envia por vontade própria. Israel não estava orando por isso. Deus sabia que eles precisavam, então ele mandou descer do céu.

Cristo não era apenas outro homem. Ele era o Filho unigênito de Deus, enviado do céu, para ser alimento e pão para o coração faminto do homem.

Nota:

Eu imagino que foi um dia muito incomum no céu quando o Filho de Deus desceu para assumir uma forma humana. Ele era o querido do céu e o prazer do céu, mas achava necessário descer para que pudéssemos comer um pão que nos levaria a viver para sempre.

Em João 6:35, Jesus disse: “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim nunca terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede”.

B. Descia à noite

As pessoas reuniram o maná logo de manhã porque caia à noite.

Jesus veio quando o mundo estava em trevas. É por isso que Ele disse: “Eu sou a Luz do mundo” (João 8:12). Ele brilha apesar da escuridão do pecado e da ignorância.

O pecador perdido está nas trevas, de acordo com 2 Coríntios. 4, mas a luz do evangelho pode brilhar. Jesus pode trazer os homens das trevas para a sua maravilhosa luz.

C. Chegava com o orvalho (Num.11: 9)

O orvalho impediu que o maná fosse contaminado pela terra. Estava entre o maná e a terra. Deus usou o orvalho como uma toalha de mesa na qual o maná poderia cair.

Aquilo retrata o Espírito Santo em relação ao Senhor Jesus. A Bíblia diz em Lc.1: 35: “O Espírito Santo descerá sobre ti e o poder do Deus altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso, o que vai nascer é santo e será chamado Filho de Deus“.

D. Caiu no Deserto.

Não é necessário ter condições “ideais” para o maná cair. Este mundo está longe de ser “ideal”. É cheio de guerras e rumores de guerras, ódio, conflitos, assassinatos, ladrões, e muito mais.

Realmente ocorre-me ocasionalmente quando olho em volta para nossa sociedade pecaminosa, que ainda não estamos em casa. Que alegria ter o Senhor Jesus para que a vida valha a pena.

Cristo veio a um mundo hostil, que Ele sabia que O rejeitaria, para que pudéssemos ter vida. Que graça, graça maravilhosa graça!

E. Chegou aos Rebeldes (v.1-3).

Eles se rebelaram murmurando contra Moisés e contra Deus. Obviamente, eles haviam esquecido que Deus lhes enviara Moisés. Falar contra Moisés era falar contra o Deus que o enviou, pois ele representava Deus ao povo.

Essas pessoas ansiavam pela dieta carnal da velha vida, mas Deus, já que Ele é misericordioso e cheio de graça, deu-lhes pão.

Deus poderia ter chovido fogo sobre eles em vez de pão, mas não, Deus escolheu revelar Seu amor para eles. Veja Romanos 5: 8.

Nota:
Calculou-se que para fornecer seis litros (ou um omer) de maná para dois milhões de pessoas por dia, seriam necessários quatro comboios de carga de sessenta carros cada um. Não era Deus generoso para eles?

F.Descia onde eles estavam.

Eles não precisavam fazer uma longa jornada para chegar ao maná. Era tão acessível. Caiu por todo o chão fora de suas tendas. Eles não precisavam ligar para a Federal Express ou encontrar alguns camionistas para transportá-lo. Eles não precisavam ir a nenhum lugar para conseguir o que precisavam. Não havia montanhas para subir ou rios para atravessar. Estava mesmo lá.

Squire Parsons escreveu: “Quando eu não podia ir para onde Ele estava, Ele veio até mim”

III A APROPRIAÇÃO DO MANÁ

Para que o maná servisse seu propósito, devia ser comido ou levado para uso próprio.

A. Senso de Necessidade

Vivemos em um mundo de fome espiritual insatisfeita. Deus colocou um vácuo no coração de cada pessoa que somente o Seu Filho pode preencher.

Até que Jesus entre, haverá vazio. Você pode festejar, ter um grande momento, falando carnalmente, e ainda estar vazio.

Muitos dos problemas que temos neste mundo hoje em dia são por causa de uma fome espiritual insatisfeita dos corações dos homens.

Você nunca irá a Jesus até se aperceber  dessa necessidade (Is.64: 6).

Isaías 55: 2 diz: “Por que gastam o vosso dinheiro naquilo que não alimenta, e se cansam a trabalhar sem tirar proveito? Mas se me escutarem, hão de comer do melhor e saborear a comida mais deliciosa.

B. Dobrando os joelhos

O verso 16 diz: “E colete-o todo homem.” Eles tiveram que se abaixar para apanhá-lo, pois estava no chão.

Tantos pecadores não admitem que são pecadores e não se curvam em arrependimento e fé. O arrependimento não é apenas sentir pesar por você ter sido apanhado, mas uma genuína mudança de direção do pecado para Deus. É um sentimento de nos submeter-mos, nos diminuirmos para que Jesus seja tudo.

C. Separando você mesmo

Os judeus famintos não eram alimentados por admirar o maná, ou olhar para o maná, ou mesmo observar outros comendo-o. Eles tiveram que pegá-lo, tirá-lo do resto, por si mesmos.

Em João. 6 Jesus falou de “comer sua carne e beber seu sangue“. Ele não estava sugerindo que eles se tornassem canibais, Ele estava se referindo a uma participação espiritual.

Isso está vitalmente ligado com a Palavra de Deus. Quando nós a aceitamos, nós nos banqueteamos em Cristo, que é a Palavra viva de Deus.

D. Buscando cedo (v.8 “de manhã”)

Quando o filho se levantou pela manhã e ficou quente, o maná ficou estragado.

Isaías 55: 6 diz: “Busque o Senhor enquanto ele pode ser encontrado. Invoque-o enquanto ele estiver próximo.” Isso implica que pode haver um dia em que Deus possa não ser encontrado.

Foi tarde para recolher o maná depois que o sol surgiu e aqueceu a terra. Um dia, o dia do julgamento virá para você e será tarde demais.

Os cristãos devem buscar a Deus no início do dia.

E. busca sustentada

Eu vou dizer uma coisa aos cristãos. Você não é apenas salvo e acabou, mas deve se alimentar de Cristo para ter força para a jornada.

Alimento fresco deve ser colhido todos os dias. Não podemos viver das bênçãos de ontem. Deve ter algo novo todos os dias.

Conclusão:

1- Reunir o maná foi um teste de sua obediência. (V.4)

2- Maná foi tudo para eles durante a jornada no deserto. Não parou até chegarem a Gilgal.

3- Cristo é aquele para O qual o maná aponta.

Você O conhece?

Artigo original em : http://www.preacherscorner.org/tom9.htm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: