Quais são as perguntas mais importantes?

Todos nós temos perguntas. Quem sou eu? Por que estou aqui? Existe um Deus? Quem é ele? O que ele quer de mim? O que está errado com o mundo? . . e comigo? O que acontece depois de morrer? Como posso saber com certeza? Essas questões e muitas mais podem nos incomodar. Mas as questões mais importantes se resumem realmente em quem é Deus e o que Ele quer de si?

Cada pessoa é um teólogo – cada um de nós pensa e opera a partir de um conjunto de crenças sobre Deus. Uma verdade fundamental da teologia é esta: existe um Deus. Uma segunda verdade segue-se necessariamente: você não é Ele. Podemos negar ou pelo menos duvidar que Deus existe, mas a Escritura declara: “O insensato diz em seu coração: ‘Não há Deus’” (Salmo 14: 1). O insensato ou tolo, como também pode ser traduzido, é alguém que não entende, muitas vezes de maneira arrogante e deliberada, descartando o que é óbvio. Essa rebelião contra o único Deus verdadeiro da Bíblia nos permite designar deuses de nossa própria criação (1Jo 5:21), ou seja, perseguir nossas próprias vontades e desejos (Filipenses 3:19; Tiago 4: 1–4). Mesmo no perfeito Jardim do Éden, Adão e Eva foram atraídos a se rebelar contra o santo mandamento de Deus, para que pudessem promover seus próprios desejos (Gênesis 3: 1–6).

Mas existe um Deus e você não é ele. Outras questões que temos na vida só podem ser respondidas começando por Deus. Vamos considerar apenas algumas verdades sobre quem é Deus e o que Ele quer de nós.

É possível conhecer Deus, e Ele quer que você O conheça

O Deus invisível revelou-se de muitas maneiras. Uma das formas foi através do trabalho de suas mãos: “Porque seus atributos invisíveis, a saber, seu eterno poder e natureza divina, foram claramente percebidos, desde a criação do mundo, nas coisas que foram feitas. Portanto, eles são indesculpáveis ​​” (Romanos 1:20; cf. Salmos 19: 1–2). Ele também é cognoscível através da consciência humana. Esse conhecimento do que é certo e do que é errado reflete (embora imperfeitamente) o padrão moral de santidade de Deus (Romanos 1:32). Deus é a fonte e autor de tudo o que é bom, verdadeiro e correto, e nossa capacidade de julgamento moral depende de O conhecermos.

Deus também se revelou particularmente através de meios especiais. Muitos eventos históricos sobrenaturais testemunham sua intervenção direta, incluindo o Dilúvio global, a confusão de línguas e a travessia do Mar Vermelho. Ele também falou diretamente com Adão, Noé, Abraão e Moisés. Ele revelou-se através de visões e sonhos (Números 12: 6; Mateus 2:12) e, claro, através de profetas e apóstolos (Efésios 2:20; 2 Pedro 3: 15-16). Essa autorrevelação de Deus foi fielmente registada para nós na Bíblia (2 Timóteo 3: 15–17).

Mas a Escritura identifica uma revelação mais completa de Deus: o Senhor Jesus Cristo. Jesus, o Filho de Deus, é “a imagem do Deus invisível” (Colossenses 1:15) e supera todas as revelações anteriores.

Muito tempo atrás, em muitas ocasiões e de muitas maneiras, Deus falou aos nossos pais pelos profetas, mas nestes últimos dias ele nos falou pelo seu Filho, a quem ele designou herdeiro de todas as coisas, através do qual ele também criou o mundo. . (Hebreus 1: 1–2; cf. João 14: 9)

Com toda essa autorrevelação, devemos ser persuadidos de que Deus quer que O conheçamos (Jeremias 9: 23–24). Devemos, portanto, estudá-Lo na criação e na história; entender e seguir seus padrões morais; ler sua palavra escrita; e estimar muito o seu Filho, o Senhor Jesus Cristo.

Deus é o Criador e Ele deseja que você o honre.

A Bíblia declara: “No princípio Deus criou os céus e a terra” (Gênesis 1: 1). Ele falou e “todas as coisas foram feitas através dele, e sem ele nada do que foi feito se fez” (João 1: 3).

     Pois assim diz o Senhor
que criou os céus (ele é Deus!),
que formou a terra e a fez
(ele a estabeleceu;
ele não a criou vazia,
ele a formou para ser habitada!):
“Eu sou o Senhor e não há outro
. (Isaías 45:18)

De toda a sua criação, somente os humanos são feitos à sua imagem (Gênesis 1:27). Ele fez a humanidade (Salmo 100: 3) e deu-lhes domínio sobre toda a criação (Gênesis 1:28). Assim, somos capazes de apreciá-Lo e refletir seus atributos perfeitos. Ele quer que nós o glorifiquemos – para honrá-Lo com nossas palavras e nossas obras – e dar graças a Ele (Romanos 1:21). Devemos temê-Lo com reverência e autocensura para que não pequemos (Êxodo 20:20), sabendo que Ele nos julgará em retidão (Eclesiastes 12: 13–14).

Deus é Fiel e quer que você confie Nele.

Deus mantém suas promessas; Ele não pode mentir (Tito 1: 2; Hebreus 6:18). Ele é o verdadeiro Deus (Jeremias 10:10; João 17: 3) e o que Ele diz é verdade (Salmo 19: 9; Mateus 22:16; João 5:32). O salmista David diz:

O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador.
meu Deus, minha rocha, em quem me refugio. . . .
Este Deus, seu caminho é perfeito; a palavra do Senhor é verdadeira; ele é um escudo para todos aqueles que se refugiam nele
. (2 Samuel 22: 2–3, 31)

Quando confiamos em Deus, descansamos com segurança em sua fidelidade. A Escritura diz: “E os que conhecem o teu nome confiam em ti, porque tu, Senhor, não desamparas os que te procuram” (Salmo 9:10). O patriarca Abraão “confiou no Senhor e ele o creditou com justiça” (Gênesis 15: 6, tradução do autor). O apóstolo Paulo nos encoraja a seguir o exemplo de Abraão, pois “os que são da fé são abençoados juntamente com Abraão, o homem de fé” (Gálatas 3: 9). Nós devemos confiar em Deus, uma vez que “sem fé é impossível agradá-lo, pois quem quer que se aproxime de Deus deve crer que ele existe e que ele recompensa aqueles que o buscam” (Hebreus 11: 6).

Deus está presente e quer que você O ame.

Deus não precisa de ninguém, já que ele é suficiente para si mesmo e verdadeiramente independente. No entanto, desde o Jardim do Éden aos novos céus e nova terra, Deus se deleitou em habitar entre os homens. Antes da queda, Adão e Eva desfrutaram de um relacionamento perfeito com Deus. Muitos séculos depois Ele escolheu a nação de Israel para ser seu povo especial e convidou-os a se aproximarem dele (Deuteronómio 7: 6-9). O apóstolo João falou da época em que “o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (João 1:14) – foi o Senhor Jesus Cristo que viveu entre seu povo, ensinando-lhes a Palavra de Deus e curando suas doenças. Quando Jesus retornou ao céu, Ele enviou o Espírito Santo para habitar em seus seguidores (João 15:26). O apóstolo João também profetizou que nos novos céus e nova terra “a morada de Deus é com o homem. Ele habitará com eles, e eles serão o seu povo, e o próprio Deus estará com eles como seu Deus ”(Apocalipse 21: 3).

Dado o imenso desejo de Deus de estar com a humanidade, é apropriado que O amemos, desfrutando de sua presença e vivendo nossas vidas em relação com Ele (Tiago 2:23). Quando foi pedido a Jesus que resumisse toda a Lei de Moisés no maior mandamento, ele respondeu: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento” (Mateus 22:37). Esse amor por Deus deve caracterizar nossos pensamentos, palavras, atitudes, ações e afeições, de modo que Ele esteja no centro de todos os aspetos de nossas vidas (Salmo 73: 25-26).

Deus é soberano e deseja que você O obedeça.

Toda autoridade e poder pertencem somente a Deus. Ele não teme desafiantes nem usurpadores.

Aquele que é o bendito e único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, que sozinho tem a imortalidade, que habita em luz inacessível, a quem ninguém jamais viu ou pode ver. Para ele seja honra e domínio eterno. Amem. (1 Timóteo 6: 15–16)

Porque Deus é a autoridade suprema, devemos obedecê-Lo. Jesus disse a seus seguidores: “se me amais, guardareis os meus mandamentos” (João 14:15). Ele também nos orientou a “fazer discípulos. . . ensinando-os a observar tudo o que eu lhes ordenei” (Mateus 28: 19–20). Nós também estaremos diante Dele em julgamento quando desobedecemos. Ele é o legislador e juiz e não há “nenhuma criatura escondida da sua vista, mas todos estão nus e expostos aos olhos daquele a quem devemos prestar contas” (Hebreus 4:13). Deus justamente julga e todos os homens são dignos do castigo eterno e da separação de Deus (Apocalipse 20: 11–15).

Deus é eterno e quer que você viva com Ele para sempre.

Distinto do tempo e da sua criação, Deus não tem começo nem fim. Deus é eterno; isto é, Ele está fora do tempo (Salmos 90: 2; Isaías 9: 6–7; 1 Timóteo 1:17; Hebreus 9:14). Somente Ele é o Deus vivo que se revelou a Moisés como “Eu sou” (Êxodo 3:14). Ele tem vida em si mesmo e não depende de ninguém nem de nada.

O Deus que fez o mundo e tudo nele, sendo Senhor do céu e da terra, não vive em templos feitos pelo homem, nem é servido por mãos humanas, como se precisasse de alguma coisa, pois ele mesmo dá a toda a humanidade a vida e respiração e tudo. (Atos 17: 24–25)

O Deus vivo criou Adão e Eva para viver com Ele e não morrerem. Mas o sofrimento e a morte vieram ao mundo por causa da desobediência de Adão ao mandamento de Deus (Romanos 5: 12-21; 1 Coríntios 15: 21-22). Deus ordenou e advertiu Adão: “Certamente comereis de toda a árvore do jardim, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás, porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gênesis 2: 16-17). Quando nossos primeiros pais comeram o fruto, eles foram separados de Deus (Isaías 59: 2); tornaram-se consciente de seu próprio pecado; e seus corpos físicos ficaram sujeitos a doenças, enfermidades e, por fim, à morte. Porque Deus é eterno, o castigo pelo pecado também é eterno (Daniel 12: 2; Mateus 25:46).

Esperança e ajuda para os pecadores

Mesmo com essa visão limitada de quem é Deus e o que Ele espera, cada um de nós deve reconhecer até que ponto estamos aquém dele. Cada aspeto de nossas vidas é contaminado pelo pecado, e somos forçados a concordar com a avaliação da humanidade de Deus:

Ninguém é justo, não, nem um;
ninguém entende;
ninguém procura por Deus.
Todos se desviaram; juntos eles se tornaram inúteis;
ninguém faz o bem
nem mesmo um
. (Romanos 3: 10-12)

Existe alguma esperança para os pecadores? Como o que está errado pode se tornar correto? Devemos admitir que o problema está dentro de nós e a solução deve vir de fora de nós. Nós não podemos nos salvar da ira de Deus, mas Ele mesmo fez um caminho para nos reconciliarmos com Ele.

Concorde com Deus que você é pecador e fuja do seu pecado para Deus.

Jesus veio “para buscar e salvar os perdidos” (Lucas 19:10). Você deve primeiro admitir que está perdido, separado de Deus por causa do seu pecado, sujeito à sua justa e santa ira. Você deve confessar que “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23) – incluindo-se nessa confissão. “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça ”(1 João 1: 8–9).

Arrependimento significa que você deve se afastar de seus desejos, pensamentos e ações pecaminosas, rejeitando-as como vergonhosas e levando à morte (Romanos 6:21), e voltar-se para Deus. Visto que um ídolo é algo em que adoramos ou confiamos em vez de confiar plenamente em Deus, a verdadeira salvação significa que você “deixando os ídolos se converteu para Deus para servir ao Deus vivo e verdadeiro” (1 Tessalonicenses 1: 9).

Acredite que Jesus pagou pelo seu pecado.

Porque Deus é justo, Ele não pode simplesmente esquecer o pecado e desculpá-lo com um decreto divino. Consequentemente, “sem derramamento de sangue não há perdão dos pecados” (Hebreus 9:22). O primeiro derramamento de sangue foi o animal que morreu para fornecer “vestes de peles” para cobrir a vergonhosa nudez de Adão e Eva depois que eles pecaram (Gênesis 3:21). A melhor cobertura para o pecado veio através da morte do Senhor Jesus Cristo:

Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões;
ele foi esmagado por nossas iniquidades;
sobre ele foi o castigo que nos trouxe a paz,
e com suas feridas estamos curados.

Todos nós, como ovelhas, nos desviamos;
cada um desviava pelo seu próprio caminho; mas o Senhor colocou sobre ele a iniquidade de todos nós.
(Isaías 53: 5–6)

Para receber o presente da salvação, você deve crer na verdade do evangelho:

Se você confessar com sua boca que Jesus é o Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dos mortos, você será salvo. Pois com o coração se acredita e se justifica, e com a boca se confessa e se salva. Porque a Escritura diz: “Todo aquele que nele crê não será envergonhado” (Romanos 10: 9–11).

O evangelho muda tudo

Quando uma pessoa invoca o Senhor para a salvação, Deus o liberta (Salmos 50:15, 116: 17, 145: 18). Esta libertação abrangente significa que uma pessoa é salva da penalidade do pecado, está sendo salva do poder do pecado e será salva da presença do pecado (2 Coríntios 5:15).

Você está salvo da penalidade do pecado.

Porque Jesus morreu no lugar dos pecadores, a justiça perfeita de Deus foi satisfeita para aqueles que creem: “Portanto, visto que fomos justificados pela fé, temos paz com Deus através de nosso Senhor Jesus Cristo. . . . [E agora] não há condenação para os que estão em Cristo Jesus ”(Romanos 5: 1, 8: 1). A justiça de Cristo substitui a culpa dos pecadores (2 Coríntios 5:21).

Você está sendo salvo do poder do pecado.

Os crentes foram libertados da escravidão do pecado e separados para Deus para levar vidas santificadas (Romanos 6: 12-14; Tito 2: 11-14). Em vez de viver em cativeiro a pensamentos e ações pecaminosas (Gálatas 5: 19-21), o Espírito Santo de Deus capacita-nos a viver vidas santas (versículos 22–25), “como filhos obedientes, não se conformem com as paixões de que tinham outrora mas assim como aquele que vos chamou é santo, sejam santos também em toda a vossa conduta, visto que está escrito: “Sereis santos, porque eu sou santo” (1 Pedro 1: 14-16).

Você será salvo da presença do pecado.

Os crentes que morrem entram na presença do Deus santo (2 Coríntios 5: 8) e são “os espíritos dos justos aperfeiçoados” (Hebreus 12:23). Todos os crentes vivos ou mortos buscam a gloriosa ressurreição do corpo, e toda a criação anseia pelo tempo em que todas as coisas serão renovadas (Romanos 8: 18-23; Apocalipse 21: 1–4, 27, 22: 3).

Conclusão

Já que Deus quer que O conheçamos, que O honremos, confiemos nele, O obedeçamos, O amemos e que vivamos com Ele para sempre, como está você? Como você aumentou seu conhecimento Dele? Quantas vezes você honra o Senhor e lhe dá graças? Você encontra conforto em sua fidelidade? Sua vida é caracterizada pela obediência à Palavra de Deus? Você está confiando na morte, sepultamento e ressurreição de Cristo para o perdão dos seus pecados? Você se aproxima Dele e O deseja? Todo louvor a Deus que nunca muda e está próximo daqueles que O invocam com fé. Aproxime-se de Deus hoje e sempre aumente/cresça em seu desfrute Dele.

 

Artigo original por Scot Chadwick em : https://answersingenesis.org/what-does-god-want-from-me/most-important-questions/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: