Senhor, faz-me uma cidade no alto do monte

Quantos pastores seriam escolhidos se Jesus os examinasse?
Deixe-me ser mais pessoal. Teria Jesus me escolhido se tivesse se sentado no meu conselho de examinadores? Quando olho para meus exames de ordenação, me pergunto se me safei muito facilmente.

Não é que os irmãos que me examinaram tenham sido brandos comigo. Eles me interrogaram com perguntas difíceis e complexas. Eles exigiram que eu desse evidências claras de que meu entendimento teológico era sólido. Algumas de suas perguntas expuseram minhas fraquezas.

Mas um texto que me faz pensar é o seguinte:

Vocês são a luz do mundo. É impossível esconder uma cidade construída no alto de um monte. Não faz sentido acender uma lâmpada e depois colocá-la sob um cesto. Pelo contrário, ela é colocada num pedestal, de onde ilumina todos que estão na casa. Da mesma forma, suas boas obras devem brilhar, para que todos as vejam e louvem seu Pai, que está no céu.” ”(Mateus 5: 14–16)

Meus examinadores concentraram suas perguntas quase exclusivamente no que eu pensava, o que, claro, é muito importante para o pastoreio eficaz. Mas não me lembro de nenhuma questão pontual sobre como meu entendimento teológico intelectual estava produzindo a luz brilhante de boas obras. Eu não era obrigado a dar provas claras de que era um verdadeiro fazedor da palavra, e não apenas um ouvinte bem informado da palavra (Tiago 1:22).

Se Jesus me tivesse examinado

Agora, meus colegas examinadores sem dúvida me deram o benefício da dúvida, assumindo que eu não teria sido recomendado para a ordenação se minha vida não fosse consistente com minhas palavras. Mas acho que Jesus teria sido mais duro para mim, conhecendo-me como conhece, sabendo que posso frequentemente falar melhor sobre o jogo do que realmente o jogar.

Acho que Ele queria que eu demonstrasse que meu conhecimento teológico estava de fato alimentando a minha lâmpada. Ele poderia ter me pedido que descrevesse como aqueles na minha vizinhança e meus relacionamentos recebiam de forma tangível o benefício da minha “luz”. Ele poderia ter exigido exemplos específicos da última vez em que fui injuriado e perseguido por Sua causa (Mateus 5: 11-12 ). Ele poderia ter me perguntado quando eu estava ciente de alguém ter dado glória ao meu Pai no céu depois de ver minhas boas obras.

Essas perguntas teriam sido mais difíceis de responder. Elas teriam exposto ainda mais pontos fracos e, de certa forma, mais importantes. Meu entendimento teológico intelectual de anos e anos de ouvir a palavra só O satisfaria na medida em que produzia luz através do cumprimento de Sua palavra.

O que nos faz luz?

Jesus chamou-Se a Si mesmo a luz do mundo (João 8:12). O que O fez brilhar? Certamente foram suas palavras (João 7:46). Mas não foram apenas as palavras Dele; foram também suas obras. Ele disse: “As obras que faço em nome de meu Pai testificam de mim” (João 10:25). As obras de Jesus tornaram claro quem realmente Ele era. Suas obras brilharam e ainda brilham.

Jesus nos chamou a luz do mundo (Mateus 5:14). O que nos faz brilhar? Não são apenas nossas palavras, mas nossas obras. As obras que fazemos em nome de Jesus testemunham sobre nós e sobre Ele. Nossas obras públicas, visíveis e observáveis, fazem quem somos e de quem somos manifestamente claro. Assim como Jesus, nossas obras fazem com que alguns nos insultem e nos persigam, e profanam falsamente todos os tipos de mal contra nós, e fazem com que outros glorifiquem nosso Pai celestial.

Pessoas Brilhantes

Uma cidade construída no alto do monte não pode ser escondida.” Que tipo de boas obras brilham assim? Não é uma pergunta difícil de responder. Pergunte a si mesmo que boas obras outros cristãos fizeram que se destacam mais em sua memória? Quem são as pessoas que conhece que tem sido mais radiantes com a luz de Jesus?

As pessoas brilhantes não foram necessariamente as mais inteligentes, ou mais articuladas, ou mais talentosas, ou tiveram as plataformas mais influentes publicamente. Elas têm sido o povo com coração mais servidor, com amor sacrificial. Foram elas que acharam o amor inabalável de Deus melhor que a vida (Salmo 63: 3). Elas sempre amaram os outros em palavras e ações (1 João 3:18). Suas palavras e ações às vezes foram tenras e outras vezes duras, dependendo da necessidade. Suas ações demonstraram que eles realmente consideram os outros mais importantes do que eles mesmos (Filipenses 2: 3), e que eles buscam o bem dos outros mais do que a aprovação de outros.

Não é apenas o que as pessoas brilhantes fazem, mas porque o fazem e como o fazem,  que as torna literalmente notáveis ​​- as pessoas falam sobre elas. Alguns os elogiam e outros os difamam. Mas é o seu fazer, não falar, que os diferencia. E nos encontramos atraídos para eles e enervados por eles, porque a luz de seu amor humilde e palavra-e-ação aqueceu nossos corações gelados e expôs nosso egoísmo e orgulho.

Seja o que for preciso

Teria Jesus me escolhido? Eu confio que através do Espírito operando em meus irmãos examinadores, Ele o fez. Vendo como Jesus pacientemente lidou com seu grupo original, é claro que Ele escolhe graciosamente discípulos como eu, cujo conhecimento intelectual inicialmente supera suas ações. Mas Ele espera que isso mude. Ele espera que nossas obras cresçam em nossas palavras e sejam testemunhas brilhantes da realidade e poder de suas palavras.

Eu sou grato pelo presente do equipar teológico que Deus me deu. Mas nestes dias eu estou-Lhe pedindo para me pressionar mais do que nunca, para me examinar completamente, para me procurar e me testar e me transformar para que eu brilhe mais com a luz de Jesus através das minhas obras do que jamais brilhei. Eu não quero simplesmente articular a verdade gloriosa com mais precisão, mas encarná-la mais plenamente, especialmente nos lugares escuros do mundo onde ela é mais necessária. Eu quero viver mais – para amar a Deus e aos outros por Sua causa, que, quer eu provoque perseguição ou louvor a Deus, minha luz seja claramente vista.

Então, Senhor, seja o que for preciso, faz-me cumprir Tua palavra para que minha vida brilhe como uma cidade situada em no alto do monte e Te dê glória, em nome de Jesus, Amém.

Artigo original por Jon Bloom em : https://www.desiringgod.org/articles/lord-make-me-a-city-on-a-hill

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: