Você não é seu

Seu corpo não lhe pertence. Acredita nisto? Não me refiro a acreditar nisto doutrinariamente – se você é um cristão, é claro que acredita que “você não é seu” (1 Coríntios 6:19). Quero dizer, funcionalmente acredita nisso?

Não é difícil dizer. Como você usa seu corpo revela o que acredita. Pode ser difícil admitir, se nos sentirmos expostos por nossa crença funcional. Acredite em mim, eu sei. Eu tenho muitas crenças funcionais que ficam aquém das minhas crenças oficiais, em graus variados, em tempos variados.

“Em que parte de sua vida, se esqueceu, funcionalmente, que pertence a Jesus?”

A questão não é um exercício de vergonha – para você ou para mim. É um exercício de avaliação honesta, em terapia de realidade e, se necessário, em arrependimento. O que, para os cristãos, deveria ser apenas uma experiência normal e cotidiana. Como Martin Luther disse famosamente: “Quando nosso Senhor e Mestre Jesus Cristo disse ‘Arrependam-se’, Ele pretendia que toda a vida dos crentes fosse arrependimento”.

Caindo e levantando juntos

Todos nós ficamos aquém da glória de Deus (Romanos 3:23). Nenhum de nós atingiu a perfeição (Filipenses 3: 12-13). Deus sabe disso muito melhor do que nós, e Ele fez abundante provisão para nossos déficits. Cada vez que nos arrependemos – todos os dias, até mesmo a cada hora – a substituição de Jesus, a morte expiatória por nós nos purifica de toda injustiça (1 João 1: 9). Deus quer que vivamos livres de condenação (Romanos 8: 1), aproveitando ao máximo seu suprimento infinito de graça que perdoa, restaura, encoraja e capacita.

Uma vez que todos os redimidos que ficam aquém, estão nessa luta de fé juntos, podemos continuar encorajando e exortando uns aos outros todos os dias a seguir em direção ao Grande Objetivo (Filipenses 3:14), para que nenhum de nós se torne endurecido em enganoso, pecado habitual (Hebreus 3:13).

Com a maravilhosa graça de Deus em mente, podemos dar uma boa olhada em nós mesmos e perguntar: realmente acreditamos que não somos nossos?

Você não sabe?

Vejamos estas palavras inspiradas pelo Espírito e escritas por Paulo no contexto:

Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos?
Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o corpo de vocês.

(1 Coríntios 6: 19-20)

Quando Paulo perguntou “acaso não sabem”, ele estava a dirigir-se aos cristãos. E ele perguntou muito aos cristãos de Corinto sobre essa questão nesta carta (1 Coríntios 3:16; 5: 6; 6: 2–3, 9, 15–16, 19; 9:13, 24). Alguns coríntios provavelmente eram novos crentes e talvez não soubessem. Mas o fraseado de Paulo na pergunta deixa claro que ele estava dando um lembrete firme para a maioria dos leitores que sabiam doutrinariamente, mas cujos comportamentos revelaram que eles se esqueceram funcionalmente.

Mais dolorosamente, eles estavam vivendo em incredulidade funcional, o que era pecado real e requeria verdadeiro arrependimento. Eles sabiam, e eles não sabiam.

Quem possui seu corpo?

Em 1 Coríntios 6:19, Paulo estava abordando especificamente a imoralidade sexual entre os crentes. Assim como a nossa sociedade, a sociedade coríntia tinha muitos meios disponíveis, acessíveis, culturalmente aceitáveis e eram até mesmo encorajados a se dedicarem imoralmente à sexualidade. Muito provavelmente, muitos cristãos coríntios tinham origens repletas de imoralidade. Eles tinham hábitos de pensar e se comportar sexualmente que ainda os afetavam e os tentavam como cristãos. Alguns, aparentemente, estavam repetidamente “aquém”.

“Nosso Mestre nos comprou com o infinito preço de sua vida preciosa, para nos libertar.”

Mais do que isso, eles estavam na verdade racionalizando-o com um ditado comum: “O alimento é feito para o estômago e o estômago para o alimento” (1 Coríntios 6:13). Por outras palavras, veja, se o corpo tem apetite por comida, nós o alimentamos. Então, se o corpo tem apetite por sexo, devemos “alimentá-lo”. Além disso, somos livres! O sacrifício de Jesus tornou todas as coisas lícitas! (1 Coríntios 6:12).

Paulo respondeu com franca correção: “O corpo não é para a imoralidade sexual, mas para o Senhor e o Senhor para o corpo” (1 Coríntios 6:13). Quando nos tornamos cristãos, nossos corpos se tornam membros ou apêndices do corpo de Cristo (1 Coríntios 6: 15-17). E o próprio Espírito de Cristo habita em nossos corpos como o Espírito habita no templo de Jerusalém (1 Coríntios 6:19). Implicação: todo comportamento sexualmente imoral que um cristão pratica arrasta o Senhor Jesus Cristo para esse compromisso.

É por isso que o pecado sexual, em particular, é um pecado contra nossos próprios corpos (1 Coríntios 6:18). No cristianismo, não há bifurcação de corpo e espírito. Ambos compõem o ser humano. Corromper um é corromper o outro. Tanto nossos corpos como espíritos, embora ainda vulneráveis ​​ao pecado e ao sofrimento fútil desta era enquanto aguardamos nossa completa redenção (Romanos 8:23), estão sendo redimidos por Jesus e ressuscitarão (1 Coríntios 6:14). Portanto, nossos corpos não devem ser entregues ao governo do pecado (Romanos 6:12), porque nossos corpos não pertencem a nós.

Você foi comprado

Mas é assim que vivemos? Comportamos conscientemente nossos corpos como se Cristo estivesse engajado em nossas ações físicas – todas elas? Ou não o sabemos (funcionalmente)?

“Jesus é cheio de graça, ainda assim deve ser nosso Mestre, o que significa que devemos obedecê-Lo.”

Ao descrever as maneiras pelas quais não somos nossos, Paulo usou as metáforas de um membro do corpo, que faz a vontade da cabeça; então um templo corporal, que é animado pelo Espírito divino que lá vai viver; então um escravo, que faz a vontade do seu Mestre. É o que Paulo quis dizer quando escreveu: “pois foram comprado por um preço” (1 Coríntios 6:20).

Um escravo não é sua própria pessoa. Ele foi vendido para outra pessoa. Ele pertence a outra pessoa. Ele não faz simplesmente o que lhe agrada. Seu tempo não é dele. Ele não é livre para seguir os caprichos de seus sonhos pessoais. Ele não está livre para satisfazer o desejo de seus apetites como ele deseja. Ele não é dele mesmo. Ele pertence ao seu mestre. Isso é o que um cristão é.

Libertado a grande custo

Essa escravidão de um cristão, no entanto, é como nenhuma outra – muito melhor do que qualquer alternativa de autonomia. Nosso Mestre nos comprou com o preço de sua própria vida infinitamente preciosa a fim de nos tornar “realmente livres” (João 8: 32-36). O que isso significa? Isso significa que quando Ele nos comprou, nos libertou da nossa escravidão infernal ao pecado (Romanos 6: 6). Ele também comprou para nós o inestimável dom de ser adotado pelo Pai como seus próprios filhos, o que nos torna herdeiros com Jesus do reino de seu Pai e de riqueza infinita (Romanos 8: 16-17). Se isso não bastasse, Jesus, nosso Mestre, tanto agora como na era vindoura, nos serve além de nossas mais selvagens imaginações (Marcos 10:45; Lucas 12:37).

Mas, gracioso como Ele é, Jesus ainda deve ser nosso Mestre, o que significa que devemos obedecê-Lo (João 14:15). Pois nosso mestre é quem quer que seja o que obedecemos (Romanos 6:16).

Como cristãos, sabemos disso. A questão é, nós realmente sabemos? Jesus é o Mestre sobre o nosso tempo, gastos, investimentos, tamanho e localização da casa, educação, carreira, estado civil, paternidade, amizades, envolvimento da igreja e compromissos ministeriais? Se não for, não sabemos (funcionalmente) o que achamos que sabemos.

Glorifique Deus com seu corpo                                                      

Precisamos de uma autoavaliação boa e honesta. O que o Espírito está trazendo à sua mente agora? Em que parte de sua vida você esqueceu funcionalmente, ou melhor, funcionalmente não acreditou, que você pertence a Jesus? O que você está cuidando como se fosse seu e não de Deus? Siga a liderança do Espírito e arrependa-se. Seu gracioso Senhor e Mestre está com os braços abertos para receber, perdoar e limpar você.

“Você e eu não somos nossos. Nós somos de Cristo.”

Você e eu não somos nossos. Nós somos de Cristo (1 Coríntios 3:23). Em todos os sentidos, somos o corpo, a mente e o espírito de Cristo. Somos membros do corpo de Cristo, nossos corpos são o templo de Cristo e somos escravos de Cristo, que nos tornou filhos de seu Pai e herdeiros de sua propriedade – que Mestre!

Ele é apenas, no entanto, o Mestre daqueles que O obedecem. É por isso que é crucial que nosso conhecimento funcional se alinhe ao nosso conhecimento doutrinário. Ou como Paulo disse: “Você não é seu. . . . Então glorifique a Deus com seu corpo.

Artigo original por Jon Bloom (@Bloom_Jon) em : https://www.desiringgod.org/articles/you-are-not-your-own#freed-at-great-cost

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: