Minha alma espera em Ti Buscando alegria em cada oração

“Deus é mais glorificado em nós quando estamos mais satisfeitos Nele.” Se isso é verdade, a oração, como tudo o que fazemos (1 Coríntios 10:31), é antes de tudo uma busca de nossa satisfação em Deus. Porém, diferente de tudo o que fazemos, a oração é um meio especialmente vital e precioso que Deus nos deu para aumentar nossa alegria Nele.

Porque digo isso? Porque, na oração, vamos diretos a Deus – Aquele que não é apenas a fonte de “Toda boa dádiva e todo dom perfeito” (Tiago 1:17), mas é Ele próprio nossa “alegria extrema” (Salmo 43: 4). Vemos isso lindamente expresso em uma das orações de Davi:

Você me faz conhecer o caminho da vida;
em sua presença há plenitude de alegria;
à sua mão direita há prazeres eternos
. (Salmo 16:11)

Quando oramos, estamos buscando uma alegria mais plena, um prazer mais profundo, uma vida mais abundante em Deus. Queremos glorificá-Lo ainda mais em tudo o que fazemos, por isso pedimos que Ele nos satisfaça ainda mais Consigo mesmo. Oramos para ver mais de sua glória, experimentar mais de sua força e ajuda, sentir mais alegria em Deus.

Raiz e objetivo de toda oração

Portanto, a oração é um meio especialmente vital e precioso que Deus nos proporcionou para buscarmos nossa alegria Nele. Isso não significa que nossa experiência de oração, se feita corretamente, sempre nos deixará mais satisfeitos com Deus, ou que produzirá resultados satisfatórios rapidamente.

“A oração é um meio especialmente vital e precioso que Deus nos deu para aumentar nossa alegria Nele.”

Não é isso que a Bíblia nos ensina, e o Salmo 16 não é o único tipo de oração que encontramos na Bíblia.

As orações das Escrituras são incrivelmente diversas. Elas cobrem o espectro da experiência humana. Juntamente com doces expressões de adoração, fortes declarações de fé e cânticos de alegria exultante, há orações de perplexidade sobre os caminhos de Deus, gemendo de sofrimento, confissão de pecados e lamentos profundos. Mas poderiam mesmo essas orações mais difíceis – orações que nos ajudam a expressar nossa angústia e confusão em épocas dolorosas – também ser meios de buscar a alegria em Deus?

Eu acredito que sim. A raiz de ambas as orações doces e saborosas e as orações conturbadas dos aflitos é uma busca de Deus como fonte de satisfação dos peticionários. Nós tendemos a ver isso mais explicitamente no primeiro e, às vezes, apenas implicitamente no segundo, mas Deus, nossa grande alegria, é o objetivo que os unifica. Veja comigo alguns exemplos do inspirado livro de oração da Bíblia, os Salmos.

Minha alma espera em Ti

Quando pensamos numa busca em oração pela satisfação em Deus, a maioria de nós provavelmente pensa em orações, como o Salmo 63, que docemente apreciam Deus:
Teu amor é melhor que a própria vida; com meus lábios te louvarei.
Sim, te louvarei enquanto viver; a ti em oração levantarei as mãos.
Tu me satisfazes mais que um rico banquete; com cânticos de alegria te louvarei.

(Salmo 63: 3–5)

Ou pensamos em orações que comunicam um profundo desejo de Deus:
A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do Senhor; o meu coração e a minha carne exultam pelo Deus vivo! (Salmo 84: 2)

Ou pensamos em orações que se alegram na libertação de Deus:

“Esperei com paciência pelo Senhor; ele se voltou para mim e ouviu meu clamor.
Tirou-me de um poço de desespero, de um atoleiro de lama. Pôs meus pés sobre uma rocha e firmou meus passos…

Alegrem-se e exultem, porém, todos que te buscam. Todos que amam tua salvação, digam sempre: “Grande é o Senhor!”.  (Salmo 40: 1–2, 16)

Nessas orações (e muitas mais como essas), ouvimos as orações se deliciando explicitamente no Senhor (Salmo 37: 4). Sua alegria Nele é palpável, e eles anseiam por mais.

Restaura nossa alegria em Ti

Mas mesmo quando as orações bíblicas expressam arrependimento, angústia ou tristeza, ainda assim elas estão a buscar alegria em Deus. Quando Israel estava sob a disciplina do Senhor devido ao pecado, por exemplo, os Filhos de Corá oraram,

    Não nos reanimarás, para que o teu povo se alegre em ti?
Mostra-nos o teu amor, Senhor, e concede-nos a tua salvação.

(Salmo 85: 6–7)

O que querem eles realmente? Para o povo de Israel, que está experimentando a indignação de Deus (Salmo 85: 4), esperam mais uma vez sentir alegria em Deus.

Quando Davi, como indivíduo, pecou gravemente contra Deus, derramou esta oração de profundo arrependimento:

Tem misericórdia de mim, ó Deus, por causa do teu amor. Por causa da tua grande compaixão, apaga as manchas de minha rebeldia.
Lava-me de toda a minha culpa, purifica-me do meu pecado.
. . .
Restaura em mim a alegria de tua salvação e torna-me disposto a te obedecer.
(Salmo 51: 1–2, 12)

David, em sua tristeza de remorso e arrependimento, continua procurando satisfação em Deus. Ele não está apenas pedindo perdão e limpeza, mas surpreendentemente ousa, apesar do que fez, pedir a Deus que restaure sua alegria.

Porque me abandonaste?

Mas e a oração desesperada de alguém em aflição severa?

Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? Por que estás tão distante de meus gemidos por socorro?
Todos os dias clamo a ti, meu Deus, mas não respondes; todas as noites levanto a voz, mas não encontro alívio
. (Salmo 22: 1-2)

Esta oração foi proferida primeiro por David, e depois por Jesus crucificado (Mateus 27:46). Vimos como David buscou a Deus como sua satisfação suprema, sua “grande alegria“, e o escritor de Hebreus nos diz que Jesus suportou a cruz “pela alegria que lhe foi proposta” (Hebreus 12: 2). Há alguma pista, porém, de que essa oração em si é realmente uma busca de alegria em Deus? Lemos mais abaixo:

Os aflitos comerão e serão satisfeitos;
aqueles que o buscam louvarão ao Senhor!
Que seus corações vivam para sempre
! (Salmo 22:26)

Embora o aflito ainda não tenha recebido sua resposta, ele está sentindo alegria no futuro, esperando que ele e outras pessoas que buscam a Deus não sejam apenas resgatadas, mas que estejam satisfeitas com o Deus que buscam.

Mesmo na escuridão

Mas e o Salmo 88, talvez a oração mais desolada das Escrituras? É um grito confuso de alguém na agonia da depressão profunda, e quase parece desprovido de esperança. Mas não é completamente desprovido de esperança. Podemos ouvir um lampejo nas palavras de abertura da oração:

Ó Senhor, Deus de minha salvação, clamo a ti de dia, venho a ti de noite.
Agora, ouve minha oração; escuta meu clamor.

(Salmo 88: 1–2)

Esse salmo provavelmente dá voz à experiência de alguém que lê isto. Eu sei algo sobre esses tipos de desolação. Podemos dizer que uma oração tão angustiada é remotamente uma busca de alegria em Deus? Acredito que podemos, mesmo que seja remoto – mesmo que seja apenas implícito.

O próprio facto de o peticionário, embora com muita miséria, se voltar para Deus em oração e olhar para Deus como a fonte de sua salvação, implica que ele vê Deus como a fonte da alegria pela qual tanto anseia – não muito diferente de David implorando com Deus para restaurar a alegria de sua salvação. Eu acho que é por isso que Deus incluiu essa oração na Bíblia: nós O glorificamos quando O procuramos como nossa satisfação, mesmo nas nossas trevas mais profundas.

Se você está em uma temporada do Salmo 88, o livreto de John Piper, Quando as Trevas Não Se vão: Fazendo o Que Podemos Enquanto Esperamos por Deus e a Alegria, é um recurso maravilhoso, cheio de conselhos bíblicos sábios, experientes e gentis.

Em todos os tempos

Quando falamos da oração como um meio primário que Deus nos proporcionou na busca de nossa satisfação – nossa alegria – Nele, não queremos ser reducionistas. As orações da Bíblia são muito diversas e buscam alegria de várias maneiras.

Em sua diversidade, as orações nas Escrituras nos mostram como orar “em todos os momentos” (Efésios 6:18). Deus providenciou isso para nós, para que, em períodos de louvor ou lamento, adoração ou confissão, possamos saber como buscar uma satisfação mais profunda Nele. É Deus quem tem o poder, a autoridade, a sabedoria, a graça, a bondade, a justiça, a misericórdia, a riqueza e tudo mais que é necessário, e somente Deus é a fonte da alegria final que as orações procuram. Cada oração olha para Deus como a fonte de realização e a fonte de satisfação.

A oração, no coração, é uma busca de nossa alegria extrema: Deus (Salmo 43: 4). E isso é por design. Porque “Deus é mais glorificado em nós quando estamos mais satisfeitos Nele”.

Artigo original por Jon Bloom (@Bloom_Jon) em : https://www.desiringgod.org/articles/my-soul-faints-for-you

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: