Lutei o bom combate. Como a garantia da salvação muda tudo.

O tempo da minha partida está próximo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda. (2 Timóteo 4: 6-8) Muitos, mesmo dentro da igreja, têm a suspeita de que estão desperdiçando suas vidas. Embora eles sirvam quando surgem as oportunidades e sejam intencionais sobre sua comunidade e vão de domingo a domingo, grupo pequeno a grupo pequeno, tempo de silêncio para tempo de silêncio, conversa do evangelho para conversa do evangelho com vivacidade, eles se perguntam no momento de silêncio: é assim que realmente se sente a percorrer a estrada para a glória? Deve haver mais?

Oh, ter mais – ter o que Paulo tinha.

O saber – sem sombra de dúvida – que nosso trabalho para o Senhor não é em vão (1 Coríntios 15:58). Ser persuadido com ele de que a vida vivida para Cristo é a única da qual a eternidade não se vai arrepender. O homem abençoado é o homem que por direito tem bendita segurança, que pode dizer o que Paulo disse quando chegou ao fim de sua vida: Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Doravante, está reservada para mim a coroa da justiça. J.C. Ryle, comentando sobre esta passagem, observou que a bendita segurança de Paulo veio com três olhares: o olhar para baixo, o olhar para trás e o olhar para a frente.

Para baixo para o túmulo

Escrevendo a Timóteo, seu filho amado na fé, o apóstolo lhe disse: “O tempo da minha partida está próximo” (2 Timóteo 4: 6). Sua morte está próxima. Esta pode ser a última vez que Timóteo ouvirá de Paulo. Ele logo partirá das margens desta vida. Ele será derramado como uma oferta de bebida ao seu Senhor. Ele será martirizado. Ele olha para a sepultura – a visão que aterroriza tantos dos mais ricos, mais sábios e poderosos da terra – e não recua. Em vez disso, ele estende a mão até a morte. Ele esperou por onde isso o levaria com antecipação. Ele comunicou à igreja de Filipos que estava muito pressionado entre o desejo de permanecer nesta terra para o benefício deles ou de embarcar e estar com Cristo – pois isso era muito melhor (Filipenses 1:23). Agora ele não temia a partida porque tinha uma garantia preciosa de onde estava a chegar. Ele sabia em quem havia passado a crer (2 Timóteo 1:12) e sabia para que país a morte – agora refreada por seu Mestre – o levaria.

Para trás para o serviço

Como não tem preço dar tal relato em nossos dias finais: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé” (2 Timóteo 4: 7). Paulo compara sua vida a um soldado que completou sua comissão, um corredor que passou pela linha de chegada, um mordomo que guardou o que foi confiado a ele. Ele olha para trás sem lamentar porque, mesmo tendo passado boa parte de sua vida como inimigo de Cristo, Jesus o salvou, o purificou e o capacitou a cumprir a comissão que lhe foi designada. Ele entregou seu trabalho, sua vida e sua alma a um fiel Salvador – e a graça de Jesus para com ele não foi em vão.

Para a frente para Cristo

Paulo sabia que apenas os batimentos cardíacos o impediam de alcançar a coroa. “Doravante está reservada para mim a coroa da justiça, que o Senhor, o justo juiz, me dará naquele dia, e não somente a mim, mas também a todos os que amaram a sua vinda” (2 Timóteo 4: 8) Ele estava a apenas um punhado de fôlego de ficar para sempre com seu Senhor. Ele logo receberia uma coroa de justiça de seu Deus, baseado não em seu próprio trabalho, seu próprio fazer ou seu próprio esforço. Embora antes fosse um seguidor estrito da lei, Paulo não confiava em sua própria justiça, mas ansiava pela justiça perfeita que vem de Jesus Cristo. Ele imaginou um tribunal. Diante do Juiz perfeito, ele foi coroado na perfeição de Cristo – sem mancha, ruga ou arrependimento. Ele agora ama aquela aparição de Jesus quando o confrontou na estrada para Damasco, e ele deseja ver a beleza de seu Senhor enquanto vive diante dele em seu reino eterno.

Abençoada Certeza

Paulo olhou com firmeza para baixo à sepultura, para trás para seu serviço e fé, e adiante para uma coroa eterna e futuro eterno com seu Senhor. Nossa bendita segurança, nossa grande confiança, não é, em última análise, que vivemos uma vida notável na terra, mas que Jesus viveu. Por sua vida, sua morte, sua ressurreição, temos esperada alegria. E com Paulo e nossos irmãos e irmãs no Senhor, cantamos enquanto esperamos,

 Bendita certeza, Jesus é meu;

Oh, que antegozo da glória divina!

Herdeiro da salvação, compra de Deus,

Nascido de seu Espírito, lavado em seu sangue.

Artigo original por Greg Morse em : https://www.desiringgod.org/articles/i-have-fought-the-good-fight

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

<span>%d</span> bloggers like this: