Sexo contra Deus. Três maneiras em que o mundo abusa dessa dádiva

Nos últimos meses, a nação foi abalada com uma enxurrada de acusações de abuso sexual. Aqueles que parecem ter tudo perderam tudo por causa de um apetite que não conseguiram controlar. Mesmo além do foco em rostos famosos, o movimento #MeToo através das mídias sociais expôs que existe um padrão de pecado que está vitimando mulheres (e homens), destruindo famílias e arruinando vidas.

É difícil identificar exatamente qual a causa da nossa cultura se tornar tão sexualmente destrutiva. Esse pecado profundamente assentado e geracional tem sido metastatizado há anos. A cultura em geral permitiu que o sexo se tornasse algo que só pode ser definido pelo próprio indivíduo, colocando toda a responsabilidade nas mãos do indivíduo.

A investida de falhas morais revela que o homem não pode definir sua própria sexualidade e policiar sua própria ética. A perversidade do abuso sexual vem desde o jardim. Em Gênesis 3, vemos que o desejo do homem de definir o bem e o mal só resulta em um desastre auto-justificador. Devemos estar vigilantes para não permitir que a ética sexual auto-definida, auto-governada da cultura em grande escala se transforme na ética sexual da igreja.

A visão do mundo do sexo

Para manter esse tipo de mentalidade fora da igreja, devemos estar atentos às falhas da cultura em questão. Quais são as realidades sutis – mas sinistras – da perspetiva mundial do sexo que podem causar estragos nas mentes e nos corações daqueles que perseguem a santidade pessoal?

Comprometido a si próprio

A epidemia de pornografia em nosso planeta é sintomática de uma mentalidade que se destina inteiramente a satisfazer-se. A capacidade de cumprir os desejos da pessoa por demanda começa a criar um padrão de comportamento que não é facilmente quebrado. Esse padrão de ver, desejar e, em seguida, agir sobre os desejos do coração é puramente do mundo (1 João 2:15). Um compromisso sincero de fazer bem a si próprio sempre virá às custas dos outros. É uma mentalidade que serve apenas a si própria, desconsidera os outros e reduz o valor dos seres humanos.

Dependente de um coração rebelde

Os editos de nossos dias são “Siga o seu coração” e “Faça o que lhe faz sentir bem”. Por mais bonitas que pareçam essas ideias, o coração de um homem nunca pode ser confiado. Jeremias 17: 9 diz: “O coração é enganoso acima de todas as coisas, e desesperadamente enfermo; quem o pode entender? “Somos os mais horríveis juízes de nós mesmos. Vamos desculpar e minimizar o pecado em nossas vidas apenas para que possamos satisfazer os desejos de nosso coração. A emoção desses desejos acabará por desaparecer e assim empurrar o coração do homem cada vez mais para dentro da escuridão.

Desafia seu desígnio

O sexo foi criado para homem e mulher no contexto do casamento (Gênesis 2:24). Qualquer desvio desse projeto mancha o grande presente que Deus concedeu ao homem. O sexo fora dos limites do desígnio de Deus sempre nos deixa insatifeitos. Buscamos o prazer de maneiras diferentes e desejamos mais até que nós nos consumamos e àqueles que nos rodeiam. Desafiar o design de Deus para o sexo sempre deixa a pessoa insatisfeita e leva-a buscar prazer e satisfação por outros meios. 

O melhor desígnio de Deus

A ética cristã nunca pode ser sobre as coisas que evitamos, especialmente quando se trata de desejos sexuais. A sexualidade bíblica não pode ser apenas uma lista de coisas das quais fugimos, mas também que buscamos. Qual é o fundamento da sexualidade bíblica?

Comprometido em aliança

O desígnio de Deus para o homem e a mulher é que eles possam deixar seus pais, comprometer-se mutuamente em casamento e se tornar uma só carne. É essa unidade que se destina a ser cimentada através do sexo. Nós honramos Deus ao manter o sexo dentro dos limites do casamento (Hebreus 13: 4) e, ao fazê-lo, Deus permite que o sexo seja um presente poderoso, fisicamente, emocionalmente e espiritualmente.

Dependente de um desejo de servir 

Deus deu o sexo ao marido e à esposa como um presente que podem dar a sua esposa (1 Coríntios 7: 3). Nesta visão de mundo bíblica, o sexo não é sobre garantir prazer para si mesmo, mas sobre dar um presente incrível ao seu cônjuge. Através do dom do sexo dentro do casamento, um casal pode também ajudar a manter-se mutuamente longe do pecado sexual (1 Coríntios 7: 5).

Projetado para exibir o evangelho

Mesmo no design de Deus para o sexo, vemos uma imagem que Ele pintou de sua busca por nós. Em Efésios 5: 31-32, Deus retrata para nós um fio claro para o evangelho: “Portanto, um homem deve deixar seu pai e mãe e se apegar a sua esposa, e os dois se tornarão uma só carne.” Este mistério é profundo, e eu estou dizendo que se refere a Cristo e à igreja “. 

Cristo nutre sua noiva. Ele cuida de sua noiva. Cristo deu tudo por amor a sua noiva. O casamento é sobre o refletir do amor terno, sacrificial e sempre buscador, que Cristo tem por sua noiva, a igreja.

Deus nos deu a notável honra de viver isso em nossos casamentos em todos os níveis possíveis. Que essa seja uma responsabilidade do evangelho que nós tomamos cuidado a considerar, sabendo que não é a cultura que define o que realmente é o sexo. Deus define. Ele projetou isso, e Ele o definiu. Devemos mostrar o seu belo desígnio para o sexo em nosso mundo sombrio e solitário.

 

Artigo por Daniel Ritchie em : https://www.desiringgod.org/articles/sex-against-god

 

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: