Um dia sua guerra terminará

Quase todos os cristãos estão familiarizados com a armadura de Deus em Efésios 6: 10–20. Porém, poucos sabem que a armadura que Paulo descreve remonta às raízes do Antigo Testamento. De fato, a armadura dada ao cristão para a luta contra as forças do pecado e das trevas é literalmente a armadura de Deus – armadura projetada e usada por Deus em primeiro lugar. Lutamos e permanecemos firmes contra Satanás apenas na força que advém da vitória que Cristo já conquistou para nós.

É por isso que cada uma das várias peças de armadura apontam para Cristo. O cinto da verdade é o cinto que cinge o rei messiânico (Isaías 11: 5). O peitoral da justiça e o capacete da salvação vêm do arsenal do guerreiro divino (Isaías 59:17). Os pés calçados com prontidão do evangelho são os pés dos que proclamam a chegada do reino do Messias (Isaías 52: 7). O próprio Deus é o escudo da fé (Gênesis 15: 1). A espada do Espírito, a palavra de Deus, é a arma usada pelo prometido Servo do Senhor (Isaías 49: 2).

Cristo Nosso Conquistador

Em outras palavras, Deus veste-nos com nada menos que Sua própria armadura, a mesma armadura que Cristo já usou em nosso favor em sua luta ao longo da vida com o inimigo mortal de nossas almas, Satanás. Jesus não é general de poltrona, que distribui o equipamento, mas depois assiste à luta a uma distância segura. Não, Ele mesmo usou a armadura e conquistou a vitória em nosso lugar! Você é chamado a usar a armadura cristã, não porque é isso que Jesus faria se Ele se encontrasse em uma situação semelhante à sua; você é chamado a usar a armadura de Deus, porque é isso que Jesus já fez, vestindo a armadura de Deus até a cruz.

Jesus permaneceu firme contra os planos de Satanás ao longo de sua vida e ministério terrestres. Cada uma dessas tentações específicas às quais nos entregamos esta semana- luxúria, fofoca, raiva, orgulho, autoexaltação, mentira, cobiça – é uma tentação que Ele enfrentou e encarou em seu lugar. Além disso, Jesus entregou sua vida na cruz por si, alcançando assim a vitória que derrama o Espírito santificador de Deus em sua vida. Por causa de sua vida vitoriosa, morte e ressurreição, o mesmo poder que ressuscitou Cristo dos mortos está agora operando dentro de si e de mim através do trabalho contínuo do Espírito, elevando-nos da morte espiritual para uma nova vida. (Em Efésios 6:10, Paulo ecoa um trio de palavras gregas que ele usa em Efésios 1: 19–20 para descrever o poder de Deus na ressurreição.)

Santidade pertence ao Senhor

No entanto, o trabalho santificador em curso do Espírito em sua vida não está sob seu controle. Em João 3, Jesus compara o processo de se tornar cristão ao nascimento. Assim como um bebé não tem controle sobre o tempo e as circunstâncias de seu nascimento, Deus escolheu quando o regenerar e levá-lo à fé em Cristo. Mas mesmo depois que um filho nasce, ele não controla decisivamente seu próprio crescimento físico. Ele pode querer ser mais alto ou mais baixo, mas desejando não o irá fazer mais alto ou baixo – ou acelerar os processos naturais (lentos) do crescimento físico. Da mesma forma, não estamos no controle final do processo de nosso crescimento espiritual. A santificação é decisivamente a obra de Deus do começo ao fim (Filipenses 1: 6; 1 Tessalonicenses 5: 23-24).

Essa perspetiva é enormemente encorajadora em nossa luta diária com o pecado e com Satanás. Muitas vezes imaginamos que estamos lutando sozinhos em nossas lutas contra o pecado. De modo nenhum. É por isso que Paulo nos lembra que a oração é parte integrante da guerra espiritual (Efésios 6: 18–20). Não basta vestir a armadura de Deus; precisamos estar em constante comunicação com o Deus da armadura. A realidade é que sua vitória sobre o pecado depende de Jesus, não de si. A luta Dele foi decisiva, não sua. Sua vitória na cruz comprou sua completa santificação, sua suprema santidade diante de Deus (Efésios 5: 25–27). Seu Espírito está agora trabalhando dentro de si, levando-o em direção ao objetivo de sua completa pureza. Seu crescimento espiritual pode ser muito mais lento do que você deseja, mas se você estiver em Cristo, Deus o santificará completamente.

Luta diária

Isso não significa que nunca teremos que lutar com o pecado, é claro. Muito pelo contrário: Paulo claramente espera que participemos em uma luta diária de vida ou morte com Satanás em todo o seu poder impressionante. As imagens de armaduras e batalhas nos mostram que nossa luta contra o pecado deve envolver sangue, suor e lágrimas – nosso sangue, suor e lágrimas, bem como o de nosso Salvador. Nós também devemos tomar nossa cruz e seguir nosso Mestre no caminho das dificuldades e do sofrimento (Mateus 10:38). Devemos trabalhar nossa própria salvação com medo e tremor (Filipenses 2:12). No entanto, Paulo nos diz para trabalharmos nossa própria salvação precisamente porque Deus está trabalhando em nós (Filipenses 2:13).

O uso da armadura de Deus por Cristo em seu lugar e sua vitória triunfante sobre o pecado na cruz significam que sua luta contra o pecado nunca é desesperadora ou sem esperança. Deus finalmente o santificará – Ele prometeu fazê-lo. Nesse último dia, você terá uma nova vida em Cristo e estará na presença de Deus, aperfeiçoada para sempre. Nenhum cristão será deixado para trás, meio santificado. O pecado e Satanás não terão domínio final sobre si (Romanos 6:14).

Canção triunfante distante

Isso significa que, em meio da dor da frustrante luta diária contra o pecado e Satanás, você pode pedir a Deus que continue a avançar nesse processo aqui e agora, seja fortalecendo-o para permanecer contra Satanás ou, às vezes, permitindo que você caia, para aumentar sua humildade e dependência Nele (ver Confissão de Fé de Westminster, 5.5). O conhecimento de que Deus é soberano sobre a sua santificação dá-lhe a esperança de continuar a tentar, mesmo em áreas da sua vida em que o pecado parece continuamente ter vantagem. Lembre-se que, mesmo quando está a ver um avanço real em sua vida, não é nada que você tenha realizado e não lhe dá motivo para se vangloriar. O Espírito Santo de Deus merece toda a glória, não você.

E Ele receberá a glória naquele último dia, quando todos os filhos de Deus cansados e manchadas da batalha entrarem nos portões da nova Jerusalém, com suas guerras, provações e dificuldades, agora uma lembrança do passado e uma nova canção. seus lábios – uma canção de louvor a Cristo, o vitorioso guerreiro divino, que conquistou sua redenção através de sua luta. Como William Walsham How colocou na música “For All the Saints”

E quando a luta é feroz, a guerra é longa,
Procura na orelha a canção distante do triunfo,
E os corações são corajosos novamente, e os braços são fortes.
Aleluia! Aleluia!

Mas eis que chega um dia ainda mais glorioso;
Os santos triunfam em ascensão brilhante;
O Rei da glória passa em seu caminho.
Aleluia! Aleluia!

A noite dourada brilha no oeste;
Em breve, em breve, aos fiéis guerreiros vem o resto.
Doce é a calma do paraíso, a mais abençoada.
Aleluia! Aleluia!

Artigo original por Iain Duguid em : https://www.desiringgod.org/articles/one-day-your-war-will-end

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: